Grécia

Marcelo oferece apoio de Portugal a Tsipras

Marcelo oferece apoio de Portugal a Tsipras

O Presidente da República afirmou, esta terça-feira, perante o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que a Grécia "pode contar com Portugal neste momento importante de preparação do futuro".

Durante um encontro com Alexis Tsipras, na residência oficial do primeiro-ministro grego, em Atenas, em declarações captadas pelas televisões, Marcelo Rebelo de Sousa saudou a Grécia "pela forma corajosa e resistente como tem enfrentado desafios, vários dos quais Portugal também já defrontou".

"Estamos, no fundo, a três meses de um momento histórico importante para a Grécia, e a Grécia sabe que pode contar com Portugal neste momento que é um momento importante de preparação do futuro", acrescentou.

O chefe de Estado português já se tinha referido à conclusão do atual programa de assistência financeira à Grécia, esta terça-feira de manhã, quando foi recebido pelo Presidente da República Helénica, Prokopios Pavlopoulos.

"Animam-me imenso as perspetivas que se abrem para a economia e para a sociedade gregas", declarou, na altura.

Mais tarde, no parlamento grego, o Presidente da República reafirmou as expectativas positivas em relação a este processo.

"Continuamos a encarar como, mais do que uma esperança, uma certeza, a forma feliz como a Grécia vai concluir um processo de anos que foram anos difíceis, mas foram anos importantes, não apenas para a Grécia, mas para toda a Europa", disse, na presença do presidente do Parlamento Helénico, Nikos Voutsis.

No encontro com Alexis Tsipras, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que esta sua visita de Estado acontece depois de deslocações oficiais do primeiro-ministro português, António Costa, à Grécia e do primeiro-ministro e do Presidente da Grécia a Portugal.

"(Estas visitas) significam que estamos juntos a combater por uma Europa mais justa, mais defensora da dignidade das pessoas e mais virada para o futuro", considerou.

"Somos democracias, Estados sociais, europeus - europeus do sul, mas tendo uma visão ampla da Europa que nos permite um diálogo e haver convergência com outros Estados europeus na defesa dos mesmos princípios", descreveu.

No parlamento grego, "a casa da democracia", o chefe de Estado expressou uma vez mais "solidariedade do povo português, quer quanto à forma corajosa como o povo grego enfrentou os desafios de migrações e refugiados ao longo destes anos, quer pelo modo como foi possível também ao povo grego enfrentar um período económico e financeiro difícil, de que vai sair dentro de meses".

"Desde a primeira hora, Portugal esteve na crise dos refugiados ao lado da Grécia e ao lado daquilo que eram os valores europeus. E vamos continuar a trabalhar juntos por uma Europa mais feliz, com mais crescimento, com mais emprego, com mais justiça, mais próxima das aspirações legítimas dos povos", acrescentou.

ver mais vídeos