Saúde

Menina sobrevive ao primeiro caso em Espanha de meningite que "come cérebros"

Menina sobrevive ao primeiro caso em Espanha de meningite que "come cérebros"

Uma criança de 10 anos, de Toledo, em Espanha, conseguiu sobreviver a um caso agressivo de meningite amebiana primária, uma doença grave, que mata 97% das pessoas infetadas.

Segundo avança o "El País", este é o primeiro caso de sobrevivência deste tipo de doença em Espanha. Este tipo de meningite é provocado por um organismo presente no ambiente sem provocar qualquer tipo de dano no ser humano.

O maior problema acontece quando estes organismos proliferam em águas quentes, paradas e sem tratamento e infetam seres humanos. De acordo com o jornal espanhol, citando Jacob Lorenzo-Morales, do Instituto Universitário de Doenças Tropicais e Saúde Pública das Canárias, estes organismos podem provocar infeções graves e potencialmente mortais, assim que "chegam ao cérebro através dos nervos olfativos".

A menina em causa foi hospitalizada no final de março, no Hospital Público Virgem de Saúde e Toledo, com dores de cabeça intensas e febre alta. Tudo apontava para a meningite.

As primeiras análises descartaram qualquer infeção bacteriana até que foram confrontados com a presença de um organismo que ainda não tinha sido detetado em Espanha: a Naegleria fowleri.

Quando este organismo chega ao cérebro do doente, "as enzimas são segregadas degradando os tecidos". É, desta forma, que o paciente fica com dores de cabeça. A doença pode depois avançar para convulsões, paralisia, podendo levar à morte.

A menina foi salva graças à aplicação da anfotericina B. A molécula, antibiótico e antifúngico, é aplicada via endovenosa. Já foi eficaz em alguns casos, mas continua a ser administrada com muitas precauções devido aos efeitos secundários que pode acarretar.

A Naegleria fowleri foi descoberta no sul da Austrália, em 1965, sendo que nos últimos anos também foi identificada em países da América, África e Europa.