EUA

Menino com cancro terminal quer receber postais no seu último Natal

Menino com cancro terminal quer receber postais no seu último Natal

Jacob é um menino de 9 anos do Maine que tem cancro em fase terminal, por isso, a família antecipou a celebração do seu último Natal. E como fazê-lo feliz? Enviando-lhe um postal.

É fã da saga "Guerra das Estrelas", adora Lego e Minecraf mas aquilo de que Jacob Thompson gosta profundamente são pinguins.

Jacob tem um cancro terminal (neuroblastoma). O diagnóstico surgiu aos 5 anos. No passado dia 11 de outubro, foi internado no hospital pediátrico Barbara Bush e os médicos indicaram à família que o tumor tinha alastrado e a criança só teria, provavelmente, mais um mês de vida.

A mãe, Michelle Thompson Simard, diz que os últimos tratamentos de quimioterapia e radioterapia não causaram melhorias e os tumores que estão atualmente na anca do filho, "descritos como estando entrelaçados", além da dor que provocam afetam a mobilidade de Jacob.

"Ele recebeu alguns postais no Halloween (Dia das Bruxas, 31 de outubro) e quando os abriu parecia que estava a receber um presente. Leu-os para nós e tinha um sorriso enorme", explicou o pai, Roger Guay, à CNN. "Ele ficou entusiasmado para ver o que as pessoas tinham para lhe dizer e isso iluminou o seu dia".

"Jacob adora o Natal", acrescentou. Por isso, a família decidiu antecipar a celebração daquele que será o seu último Natal. O quarto do hospital já está decorado, tem um pinheiro enfeitado e não vai faltar a visita do Pai Natal. E o que é que o menino de 9 anos quer receber de presente? Postais de pessoas de todo o mundo que queiram partilhar com ele o espírito desta época.

O primeiro postal chegou ao hospital a 1 de novembro.

A mãe tem estado a documentar as mensagens, visitas e ofertas através do Facebook. Criou ainda uma campanha de angariação online para custear os tratamentos médicos e o funeral do filho. Em 17 dias receberam donativos de diversas partes do mundo superiores a 65 mil dólares (55 mil euros) dos 75 mil (64 mil euros) que definiram como objetivo.

Em cinco dias, Jacob recebeu mais de uma centena de postais. "Temos alguns da Holanda, Austrália, Dinamarca", revelou Tara Artinyan, a madrasta. "Queremos que as pessoas vivam a vida como um pinguim, e isso significa que mergulhem na vida, encontrem calor entre os amigos, estejam bem e sejam solidárias com os outros", acrescentou.

O hospital pediátrico Barbara Bush disse, quinta-feira em comunicado, que a resposta tem sido "maravilhosamente impressionante", tendo apelado a todos os interessados para evitarem as entregas pessoais e recorrerem ao correio, email e redes sociais.