Mundo

Michelle Obama sem véu torna-se polémica global

Michelle Obama sem véu torna-se polémica global

Michelle Obama desafiou a cultura saudita ao apresentar-se numa visita de Estado sem véu na cabeça. Elementos da comitiva do rei escusaram-se a cumprimentar a primeira-dama dos EUA e, na Internet, surgiram vídeos com a imagem de cabelos descobertos "pixelizada".

Michelle Obama desafiou as leis locais e a tradição da Arábia Saudita ao não cobrir a cabeça com um véu, durante a visita oficial do presidente dos EUA, Barack Obama, para as condolências à família real saudita pela morte do rei Abdullah.

Para além da polémica sobre a atitude de Michelle, no YouTube surgiram imagens da televisão saudita, em que a sua imagem estava "pixelizada". Muito se questionou sobre se a televisão do reino árabe teria censurado a imagem de cabelo descoberto da primeira-dama dos EUA, mas aparentemente a polémica terá tido origem em utilizadores da Internet que republicaram a imagem pixelizando a mulher do presidente norte-americano.

Nail al-Jubeir, diretor de Informação na embaixada saudita em Washington, nos EUA, negou a censura à primeira-dama dos EUA, que apareceu em alguns vídeos no Youtube.

"A TV saudita mostrou toda a cerimónia no aeroporto e no palácio, em em momento algum a imagem foi pixelizada", disse Nail al-Jubeir, citado pela agência de notícias económicas norte-americana Bloomberg. A informação é corroborada pela CNN, que afirma, através de testemunhas em Riade, que a cerimónia foi transmitida sem qualquer tipo de censura.

A Arábia Saudita segue uma vertente do islamismo que faz uma interpretação literal do Corão (o livro sagrado do Islão). O reino inclui, nos seus padrões de conduta, a imposição do uso do hijab (ou véu) a todas as mulheres, por forma a cobrirem os seus cabelos. Há mesmo quem decida optar por um niqab, um véu mais escuro e que, para além dos cabelos, também cobre o rosto.

As mulheres estrangeiras não são obrigadas por lei a seguir as mesmas regras que as locais, mas espera-se que cubram os corpos em sinal de respeito pela religião do país. Michelle Obama vestiu roupa larga e cobriu completamente os braços, mas deixou o cabelo a descoberto durante a cerimónia de condolências, levando muitos islâmicos a questionar a opção.

De acordo com o "tablóide" britânico "Daily Mail", alguns dos homens da comitiva do novo rei da Arábia Saudita, Salman, recusaram-se a cumprimentar a primeira-dama dos EUA, em desacordo com a falta de véu.

Sauditas interrogam-se por que motivo Michelle não usou véu, como fez, por exemplo, quando visitou a Indonésia, o maior país muçulmano do Mundo, ou quando foi recebida pelo Papa Francisco, no Vaticano.

A atitude de Michelle Obama é bem vista pelos críticos da Arábia Saudita, um reino onde as mulheres não podem conduzir, abrir contas bancárias ou andar em público sozinhas.