Mundo

Movimento independentista vence eleições regionais na Catalunha

Movimento independentista vence eleições regionais na Catalunha

As sondagens à boca da urna apontam para uma vitória do movimento independentista "Junts pel Sí", este domingo, das eleições regionais da Catalunha, num sufrágio que foi ligado à vontade da população catalã em conquistar a independência da Espanha.

As eleições tiveram uma participação acima dos 60% e a primeira sondagem à boca das urnas divulgada hoje pela televisão catalã TV3 indica que o "Junts pel Sí", do presidente Artur Mas, ganha as eleições autonómicas, mas a precisar da extrema-esquerda CUP para ter maioria absoluta.

A sondagem à boca das urnas da TV3 indica que a Junts pel Sí (Juntos pelo Sim) obteria entre 63 e 66 deputados (a maioria absoluta consegue-se com 68 deputados regionais), com a Ciudadanos a obter entre 19 e 21 assentos, e o Partido Socialista da Catalunha entre 14 e 16 deputados. O Catalunya Si que es pot (apoiada pelo Podemos) ficaria pelos 12 a 14 deputados.

De acordo com os dados, a Junts necessitaria de entre 11 a 13 deputados da CUP (Candidatura de Unidade Popular, esquerda radical antieuropeísta) para obter a maioria absoluta no parlamento catalão.

O resultado motivou os primeiros gritos de festa na sede de campanha do Junts pel Sí, de Artur Mas, que consideram estas eleições um referendo de facto sobre a independência. A Junts afirmou que iniciaria um processo de independência caso obtivesse essa maioria, sozinha ou com outra formação independentista (no caso, a CUP).

Na votação popular, a sondagem da TV3 diz que os independentistas (Junts pel Si e CUP) terão obtido cerca de 49,8% dos votos populares (com a formação de esquerda radical a obter 9,1%).

Plebiscito sobre a independência

Em teoria, os catalães apenas escolheram hoje - numas eleições antecipadas em cerca de 13 meses por Mas - a composição do novo Governo regional.

No entanto, a plataforma Junts pel Sí (Juntos pelo Sim) - que junta o partido de Artur Mas, a Convergencia Democratica de Catalunya (CDC), a Esquerra Republicana Catalana (ERC) e vários movimentos cívicos - considera que as eleições constituem um "plebiscito" sobre a independência da região.

Os dirigentes da Junts afirmam que, caso obtenham a maioria absoluta no parlamento (pelo menos 68 deputados regionais) inicia um processo de negociações com Espanha, a União Europeia e os Estados-membros com vista à independência da Catalunha, no prazo de 18 meses.

Podem ter de vir a contar com outro partido que apoia este caminho, a Candidatura de Unidade Popular (CUP, esquerda radical com posições anti-capitalismo e contra a União Europeia).

Conteúdo Patrocinado