Mundo

Nicolás Maduro proclamado presidente da Venezuela entre protestos da oposição

Nicolás Maduro proclamado presidente da Venezuela entre protestos da oposição

O presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, foi declarado, segunda-feira, vencedor da eleição presidencial, realizada no fim de semana, apesar de o candidato derrotado, Henrique Capriles, exigir uma recontagem dos votos.

O presidente do Conselho Eleitoral Nacional (CNE), Tibisay Lucena, entregou os resultados certificados a Maduro, depois o proclamar "presidente eleito da Venezuela", na sequência de umas eleições disputadas com Capriles.

O CNE informou que, quando estavam escrutinados 98,7% dos votos, Maduro recolhia a preferência de 50,75% dos votantes e Capriles 48,98%, estando separados por apenas 262.473 votos.

O líder da oposição tinha apelado para que não se fizesse a proclamação dos resultados, tendo avisado os seus apoiantes para se prepararem para manifestações de protesto, e considerado que sem recontagem de votos o presidente seria "ilegítimo".

O campo de Maduro já contra-atacou as pretensões de Capriles, dizendo que este pretende fomentar um golpe de Estado.

"O que está por trás das suas palavras de hoje, senhor Capriles, é um apelo a um golpe contra o Estado, as instituições e a democracia neste país", disse o diretor de campanha de Maduro, Jorge Rodriguez, durante uma intervenção da televisão estatal.

Capriles convocou para esta noite o que designou uma "manifestação de tachos" e já viu a sua exigência de recontagem de votos apoiada pelos EUA e pela Organização dos Estados Americanos.

Imobusiness