Mundo

Novo massacre de mulheres e crianças na Síria

Novo massacre de mulheres e crianças na Síria

A Oposição síria divulgou no YouTube um novo massacre, na cidade de Douma, nas proximidades de Damasco. As tropas de Assad são acusadas de matar mais de 50 pessoas, entre elas mulheres e crianças.

As imagens colocadas na Internet mostram dezenas de cadáveres envoltos em lençóis. Segundo fontes da Oposição, as tropas do regime de Bashar al-Assad matou em Douma, a cerca de 15 quilómetros de Damasco, 50 pessoas, incluindo mulheres e crianças.

Mohammed Doumany contou à Reuters, via Skype, que 22 pessoas da mesma família foram mortas. "Dezenas de vítimas ainda estão por enterrar. A cidade continua sob fogo", disse, acrescentando que há muitos feridos em estado grave.

Nas últimas semanas, os combates na Síria têm aumentado. Aparentemente, os rebeldes tiveram acesso a armas capazes de atacar tanques, impondo mais baixas às forças de Assad. O Exército reagiu, usando helicópteros para bombardear e impor um cerco às cidades rebeldes.

A diplomacia até agora não conseguiu alcançar um acordo entre as potências ocidentais, favoráveis à Oposição, e a Rússia tem usado o seu poder de veto no Conselho de Segurança da ONU para travar qualquer iniciativa contra Assad.

Kofi Annan tem-se multiplicado em contactos para garantir a realização da reunião sobre a crise síria prevista para hoje, em Genebra, e ameaçada pelas objeções russas ao seu plano, indicaram diplomatas na ONU. Vários ministros dos Negócios Estrangeiros, entre os quais os dos Estados Unidos, da França e do Reino Unido, ameaçaram não se deslocar a Genebra, se houver o risco de a reunião não conduzir à adoção do plano de Annan. "Há ameaças sérias sobre a reunião de Genebra", afirmou um diplomata, sob anonimato.