Mundo

O herói muçulmano que salvou 15 judeus do ataque em Paris

O herói muçulmano que salvou 15 judeus do ataque em Paris

É africano, negro, muçulmano e salvou 15 judeus de um ataque de um radical islamita, em Paris. Lassana Bathily é o símbolo da tolerância entre povos e religiões que emerge dos dias de terror vividos em Paris, esta semana.

Lassana Bathily, de 24 anos, natural do Mali, trabalha no supermercado judeu invadido, sexta-feira, por um radical islamita e é um herói para todo o mundo.

Quando Amedy Coulibaly, fortemente armado, entrou na loja, cerca de 15 clientes fugiram para a cave. Ficariam encurralados, à mercê do terrorista, se não fosse a intervenção de Lassana, um jovem muçulmano a trabalhar numa loja de judeus.

"Quando eles correram para baixo, abri a porta do frigorífico", contou Lassana, em declarações ao canal de televisão BFMTV. Depois, desligou o congelador e apagou a luz. Pediu calma aos clientes, fechou a porta e subiu para o rés-do-chão, onde estava o sequestrador com outros reféns.

Negro e muçulmano, entre judeus brancos, não parece ter sido uma ameaça ou um alvo para Amedy Coulibaly e escapou ileso ao sequestro e à posterior invasão da polícia, que liquidou o sequestrador e resgatou os reféns.

Quatro morreram - pelas imagens, vê-se que pelo menos um estava morto antes de entrar a polícia - mas muitos mais poderiam ter morrido se não fosse Lassana.

As imagens de um pai a sair do supermercado a correr, com o filho de três anos ao colo, ou de uma mulher, também com uma criança, não existiriam se Lassana não tivesse posto os valores da vida, da igualdade acima de crenças ou extremismos religiosos. É, justamente, um herói e uma centelha de esperança no futuro da humanidade.

ver mais vídeos