Mundo

ONG denuncia execução de combatentes pró-Kadafi

ONG denuncia execução de combatentes pró-Kadafi

A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch afirmou, esta segunda-feira, ter descoberto 53 cadáveres num hotel de Sirte, suspeitando tratar-se de combatentes leais a Muammar Kadafi que terão sido executados pelas forças revolucionárias.

"Encontrámos 53 cadáveres em decomposição, aparentemente partidários de Kadafi, num hotel abandonado em Sirte. Alguns tinham as mãos amarradas atrás das costas quando foram mortos", segundo Peter Bouckaert, um responsável da Human Rights Watch (HRW).

A organização apelou ao Conselho de Transição (CNT) para que "conduza uma investigação imediata e transparente sobre o que parece ser uma execução em massa e para que leve os responsáveis perante justiça".

Os corpos foram encontrados num hotel, numa zona de Sirte sob controlo das forças rebeldes desde o início de Outubro.

O estado de decomposição dos cadáveres sugere que os homens terão sido mortos entre 14 e 19 de Outubro, disse a HRW, precisando que "os corpos estavam agrupados no jardim do hotel (...), aparentemente no sítio onde foram mortos".

"Este massacre parece integrar-se numa série de assassínios, pilhagens e outros abusos cometidos pelos combatentes anti-Kadafi armados, que se consideram acima da lei", disse Bouckaert.

A HRW informou ter descoberto, noutro local de Sirte, 10 cadáveres em decomposição de pessoas que aparentemente terão sido executadas. Os cadáveres foram atirados para um reservatório de água, segundo a organização, que afirmou não ter informações que permitam saber se se trata de combatentes pró ou anti-Kadafi.