Venezuela

Oposição denuncia irregularidades em mais de um milhão de votos na Venezuela

Oposição denuncia irregularidades em mais de um milhão de votos na Venezuela

O líder da oposição venezuelana, Henrique Capriles, denunciou alegadas irregularidades nas eleições presidenciais de domingo que envolverão mais de um milhão de votos.

"É muito mais do que um milhão de votos sobre os quais há dúvidas, estamos a falar de um universo que é muito maior do que isso", disse em conferência de imprensa Henrique Capriles, que se recusa a aceitar a vitória de Nicolás Maduro nas presidenciais enquanto não for feita uma recontagem de 100% dos votos.

Maduro foi dado como vencedor pelo Conselho Nacional Eleitoral com 50,66% dos votos face a 49,07% atribuídos a Henrique Capriles quando estavam contabilizados 99,12% dos votos.

Capriles disse que, no dia das eleições, foram feitas denúncias relativas a 535 máquinas de votação que ficaram danificadas e afetaram um universo de 189982 eleitores e que membros da oposição foram "retirados à força", incluindo sob ameaças com armas de fogo, de 283 assembleias de voto, onde votavam 722983 pessoas.

O candidato da oposição alegou ainda que cerca de 600 mil pessoas que estão no Registo Eleitoral já morreram e outras que se acredita terem mais de 100 anos e que terão votado.

Capriles observou também que há 1176 assembleias de voto onde Maduro terá recolhido mais votos do que Chávez nas eleições de 7 de outubro. "Quem pode acreditar que Maduro tenha obtido mais votos do que Chávez?", questionou, insistindo no apelo a uma recontagem dos votos e numa auditoria ao processo eleitoral para se analisarem os cadernos eleitorais e as atas.

ver mais vídeos