Naufrágio

Ordem de detenção para três membros da tripulação do navio "Sewol"

Ordem de detenção para três membros da tripulação do navio "Sewol"

As autoridades sul-coreanas emitiram mandados de detenção para o comandante e dois membros da tripulação do navio "Sewol". Quando este começou a afundar, era o terceiro oficial que estava ao comando. Há 28 mortos confirmados e 268 desaparecidos.

O navio sul-coreano "Sewol" naufragou, quarta-feira, quando fazia a ligação entre Incheon, oeste de Seul, e a ilha turística de Jeju, sudoeste.

"A equipa de investigação conjunta da polícia e do Ministério Público pediu a detenção de três elementos da tripulação, incluindo o comandante", disse um oficial da guarda costeira, citado pela agência France Press, sem adiantar mais detalhes quanto às acusações.

Em conferência de imprensa, esta sexta-feira, o procurador Park Jae-Eok sublinhou que o comando da embarcação estava entregue ao terceiro oficial e que o comandante não estava no local.

Há 28 mortos confirmados e 268 desaparecidos. Foram resgatadas com vida 179 pessoas.

Quatro especialistas envolvidos nas operações de busca conseguiram efetuar um buraco no casco do navio e entrar na zona do bar da embarcação, tendo lançado uma corda que irá servir de guia aos mergulhadores que estão a inspecionar o interior do barco à procura de eventuais sobreviventes.

As operações de busca estão agora centradas na recuperação dos 271 passageiros desaparecidos e apesar das condições na zona, das baixas temperaturas da água e do tempo que já passou desde o naufrágio, as equipas procuram ainda sobreviventes.

As equipas de socorro contam com cerca de 500 mergulhadores na zona do naufrágio e estão prontas a serem usadas algumas gruas e veículos teleguiados para explorar também o interior do navio.