EUA

Pais de Melania conseguem cidadania graças a lei que Trump odeia

Pais de Melania conseguem cidadania graças a lei que Trump odeia

Amalija e Viktor Knavs beneficiaram do reagrupamento familiar, incitados pela filha.

Amalija e Viktor Knavs, eslovenos com 73 e 74 anos, conseguiram obter na quinta-feira a nacionalidade norte-americana através do sistema de reagrupamento familiar, uma prerrogativa totalmente legal, mas que o presidente dos EUA, Donald Trump, tem denunciado como "imigração em cadeia" e porta de entrada de terroristas e ladrões de empregos "inaceitável", escreveu, certa vez, no Twitter.

A nacionalização dos Knavs não passaria de uma das milhares que acontecem anualmente (sete milhões entre 2007 e 2016) não fosse o caso de serem pais de... Melania Knavs, aliás, Trump, a esposa de Donald, ela própria nascida naquele território da antiga Jugoslávia, em 1970, e ali criada até transferir a sua carreira de modelo para Nova Iorque, em 1996.

Dois anos depois, Melania conheceu o futuro marido e a fama, o que lhe permitiu obter, em 2001, um visto de residência Einstein, reservado a pessoas com "habilidades extraordinárias" (Prémios Nobel e afins...). Só passaria a ser cidadã norte-americana em 2006, um ano depois de casar com o magnata. Os pais - um ex-membro do Partido Comunista e uma antiga agricultora e operária - reuniram-se-lhe já há anos, vivendo nas propriedades Trump. Melania tratou do processo para conseguirem os vistos de residência, que lhes permitiram, agora, obter a cidadania.

ver mais vídeos