Espanha

Pais fazem greve inédita aos TPC dos filhos

Pais fazem greve inédita aos TPC dos filhos

Nos fins de semana de novembro não se fazem os trabalhos de casa pedidos pelos professores. O desafio é da confederação espanhola de associações de pais.

Os trabalhos para casa (conhecidos por TPC) "invadem o tempo das famílias" e "violam o direito ao lazer, a brincar e a participar em atividades artísticas e culturais" reconhecido no artigo 31.º da Convenção dos Direitos das Crianças.

Estes são os argumentos da Confederação espanhola de associações de pais (CEAPA), que representa 12 mil associações, ao lançar o desafio às famílias das diferentes comunidades autónomas de Espanha para fazerem "greve" às tarefas escolares durante os fins de semana de novembro.

A Confederação disponibilizou aos pais três cartas para entregarem nos respetivos estabelecimentos de ensino dos filhos - uma a pedir aos professores que não enviem trabalhos para casa nos fins de semana durante este mês; outra com o apelo ao encarregado de educação para subscrever uma petição sobre o tema; e a terceira a informar o professor de que o filho não fez os trabalhos "com base no direito constitucional das famílias em tomar as decisões que consideram mais adequadas no âmbito familiar, que tem caráter privado, não podendo a escola invadi-lo".

"Queremos recuperar o tempo em família aos fins de semana para estar com os nossos filhos", sublinha o presidente da Confederação, José Luis Pazos, citado pelo "El Mundo". "Também queremos que o modelo mude e se dê um salto qualitativo no sistema educativo. Há escolas noutros países que funcionam sem TPC, sem livros em papel e sem exames e obtêm magníficos resultados", argumenta.

Fazer mais trabalhos não é necessariamente sinal de melhor rendimento académico. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) adverte que os TPC "reforçam a disparidade socioeconómica e o desempenho dos alunos" e "aumentam o fosso entre ricos e pobres".

A questão não é deixar de fazer TPC mas "dosear" a quantidade. Os alunos que gastam seis horas por semana a fazer trabalhos de casa reduzem em 70% as hipóteses de obterem fracos resultados escolares, revela um estudo da OCDE.