Vaticano

Papa critica quem gosta de animais mas ignora o vizinho

Papa critica quem gosta de animais mas ignora o vizinho

O Papa Francisco lamentou, este sábado, que algumas pessoas sintam compaixão pelos animais, mas depois mostrem indiferença perante as dificuldades de um vizinho.

Francisco falava perante dezenas de milhares de pessoas, na Praça de São Pedro e debaixo de chuva, naquilo a que se chama uma audiência jubilar, cerimónia que se realiza um sábado por mês.

Numa reflexão sobre o conceito de "piedade", o Papa disse que é preciso "não confundir a piedade com a comiseração, que consiste apenas numa emoção superficial, que não se preocupa com o outro", afirmou.

E perguntou: "Quantas vezes vemos pessoas que cuidam de gatos e cães e depois deixam sem ajuda o vizinho que passa fome?"

"Não se pode confundir com a compaixão pelos animais, que exagera no interesse para com eles, enquanto fica indiferente perante o sofrimento do próximo", acrescentou.

O Papa explicou aos fiéis que, para Jesus, sentir piedade é "compartilhar a tristeza de quem se encontra, mas ao mesmo tempo agir na primeira pessoa para transformá-la em alegria".

Francisco apelou por isso ao cultivo da piedade, "sacudindo de cima [de si próprios] a indiferença" que impede cada um de reconhecer o sofrimento dos outros e libertando-se da "escravatura do bem-estar material".

Conteúdo Patrocinado