Brexit

Partido Trabalhista reitera intenção de votar contra Acordo de Saída

Partido Trabalhista reitera intenção de votar contra Acordo de Saída

O partido Trabalhista britânico reiterou, na terça-feira, que vai votar contra o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (EU) negociado pelo governo, apontando para a falta de alterações no documento.

"Em termos de substância literalmente nada mudou", afirmou o líder do principal partido da oposição, Jeremy Corbyn, no parlamento, a propósito das promessas da primeira-ministra em obter alterações ao acordo na questão da solução de último recurso para a Irlanda do Norte e substituição por "provisões alternativas".

"Não há mecanismo de saída unilateral, não há limite de tempo, não há disposições alternativas", vincou.

O parlamento vota hoje o Acordo de Saída, que na segunda-feira foi "melhorado", segundo a primeira-ministra britânica, Theresa May, com três novos documentos que oferecem "alterações legalmente vinculativas".

O governo garante que estes documentos reduzem o risco de Reino Unido ficar retido numa união aduaneira com a União Europeia (UE) se for ativada a solução de último recurso para a Irlanda do Norte, que pretende evitar a reposição de uma fronteira física na Irlanda do Norte com a vizinha Irlanda, um compromisso dos acordos de paz para aquele território britânico.

Porém, o Procurador Geral britânico, que em dezembro tinha alertado para o perigo de o Reino Unido ficar "indefinidamente" vinculado àquele mecanismo de salvaguarda, admitiu hoje que "o risco legal permanece inalterado".

O "voto significativo" na Câmara dos Comuns, que é esperado hoje pelas 19:00 horas, é necessário para ratificar o Acordo e garantir um 'Brexit' ordenado.

Em janeiro, o documento foi chumbado por uma margem de 230 votos, incluído 118 de deputados do partido do governo, o partido Conservador.

Se o Acordo for chumbado pela segunda vez, o governo prometeu dar aos deputados a opção de sair da UE sem um acordo ou de pedir aos líderes europeus um adiamento do 'Brexit' para depois de 29 de março.