Rússia

Aluno de 18 anos mata 17 pessoas a tiro em escola da Crimeia

Aluno de 18 anos mata 17 pessoas a tiro em escola da Crimeia

Pelo menos 17 pessoas morreram baleadas, esta quarta-feira, num politécnico em Kerch, no leste da Crimeia.

As autoridades russas tinham avançado inicialmente que um "objeto explosivo não identificado" estaria na origem no ataque, mas confirmaram mais tarde que todas as vítimas morreram na sequência de ferimentos provocados por uma arma de fogo. O assassínio em massa foi perpetrado por um estudante de 18 anos, que acabou por se suicidar, avança a BBC.

Além das vítimas mortais, cerca de 40 pessoas ficaram feridas, disse à imprensa russa Andrei Prjedomsky, responsável pelo comité nacional antiterrorista, adiantando que o edifício foi evacuado depois do ataque.

Dimitry Peskov, porta-voz de Vladimir Putin, disse aos jornalistas que o presidente instruiu os investigadores e os serviços de informação a realizarem uma investigação completa e enviou as condolências aos familiares das vítimas.

O líder do Governo da Crimeia, Sergei Aksyonov, e o ministro da Saúde da Rússia, dirigiram-se para o local do ataque.

Ainda antes de as autoridades falaram em objeto explosivo, os serviços médicos russos tinham informado que a possível causa do incidente - agora desmentida - teria sido uma explosão de gás.

A Rússia anexou a Crimeia, região que pertencia à Ucrânia em 2014, num caso que desencadeou sanções dos países ocidentais.