Mundo

Pentágono estuda linguagem corporal dos líderes mundiais

Pentágono estuda linguagem corporal dos líderes mundiais

O Pentágono está a investir 300 mil dólares (216 mil euros) anuais num projeto experimental para estudar a linguagem corporal dos chefes de Estado, para procurar conhecer as suas intenções e prever o seu comportamento.

O porta-voz do Pentágono, o contra-almirante John Kirby, confirmou uma notícia exclusiva do jornal "USA Today" sobre um discreto programa experimental destinado a conhecer mais a fundo a psicologia dos líderes internacionais através da sua linguagem corporal.

O projeto está a ser realizado por um centro de estudos interno do Pentágono, dirigido por Andrew Marshall, um nonagenário com grande influência nos corredores do Pentágono, onde é conhecido como "Yoda", o mestre "jedi" dos filmes Guerra das Estrelas.

"O senhor Marshall é um pensador não convencional", comentou Kirby, ao explicar o estudo, que começou a ser feito nos anos 1990 no Departamento de Estado e passou para o Departamento da Defesa em 2002.

O secretário da Defesa, Chuck Hagel, não conheceu os detalhes do programa nem as suas conclusões até à quarta-feira passada.

Segundo Kirby, Hagel vai pedir mais detalhes sobre estes estudos, sem que ainda tenha decidido a sua suspensão ou continuação.

O centro dirigido por "Yoda" estudou a linguagem corporal de Putin entre 2008 e 2012, se bem que Kirby tenha afirmado desconhecer os destinatários do projeto, concebido para conhecer as intenções de um Presidente através da comunicação verbal.

Kirby revelou que Putin não é o único Presidente a ter sido estudado neste programa experimental, financiado anualmente em 300 mil dólares desde 2009.

O porta-voz do Pentágono acrescentou ainda que não existe a intenção de publicar as conclusões estes estudos.