EUA

Polícia dispara contra terapeuta que acalmava paciente autista

Polícia dispara contra terapeuta que acalmava paciente autista

Um terapeuta comportamental foi atingido pela polícia de Miami, nos EUA, quando tentava acalmar um paciente com autismo que tinha fugido de uma casa de saúde.

Num vídeo divulgado esta quarta-feira, vê-se Charles Kinsey com as mãos no ar e deitado de costas no chão, enquanto explica aos agentes que era um terapeuta e que o homem ao seu lado era uma paciente com autismo.

Mas os polícias, que tinham sido chamados porque alguém estaria armado e prestes a cometer suicídio, tiveram dificuldade em acreditar no homem que tentava falar com eles, enquanto fazia com que o seu paciente se mantivesse quieto.

No vídeo, é possível ouvir Kinsey a explicar: "tudo o que ele tem na mão é um camião de brincar. Um camião de brincar. Sou terapeuta numa casa de saúde".

Ainda assim, os agentes, que se escondiam atrás de um carro com armas semiautomáticas apontadas aos dois homens, dispararam contra a perna do homem deitado no chão e algemaram-no de seguida. Terão confundido o camião com uma arma.

Já no hospital, onde foi tratado ao ferimento, Kinsey revelou o seu espanto com a situação, já que ninguém estava armado e ele estava a comunicar com os agentes no local.

"Deitei-me no chão com as mãos no ar. Fiquei lá nessa posição. Voltei a dizer: 'Senhor, não são precisas armas. Não estou armado, esta é uma pessoa com autismo. Ele tem um camião de brincar na mão'", contou Kinsey à televisão WSVN, revelando que perguntou ao polícia por que razão o tinha atingido. A reposta que obteve terá sido: "não sei".

As autoridades estão a investigar o tiroteio e o agente em causa foi temporariamente suspenso.

ver mais vídeos