Mundo

Português relata preocupação das pessoas no local do atentado em França

Português relata preocupação das pessoas no local do atentado em França

Phillipe Fernandes trabalha a algumas centenas de metros de Saint Quentin Fallavier, local de um atentado terrorista, sexta-feira de manhã, em França. Filho de emigrantes portugueses, relata uma ambiente de grande preocupação entre as pessoas, que foram chamadas a levar os filhos das escolas.

"As creches e as escolas estão fechadas. As pessoas foram chamadas para ir buscar os filhos e levá-los para casa", disse ao JN Philippe Fernandes. "Há polícia por todo o lado, helicópteros no ar. Está tudo cercado", acrescentou.

"As pessoas estão muito preocupadas e lembram-se do que se passou em janeiro", conta Philippe Fernandes, recordando os atentados perpretados pelos irmãos Kouachi, que causaram 17 mortos, há seis meses, em Paris. "Ninguém se sente sossegado", acrescentou.

Designer gráfico na "Flux Lighting", empresa a cerca de um quilómetro da "Air Products", Philippe Fernandes, de 26 anos, diz que não ouviu as explosões. Quem estava mais perto, ouviu e sentiu "um sopro de ar", contou.

Um dos atacantes foi interpelado e manietado pelos bombeiros, quando estava ainda a colocar botijas de gás em volta da fábrica, contou, ainda, Phillipe, filho de emigrantes portugueses de Castelo Branco. Há um outro suspeito, que está em fuga e a ser procurado pela polícia.

De acordo com o o "Dauphiné Liberé", o detido, com cerca de 30 anos, já estava referenciado pelos serviços de segurança franceses. A identidade do suspeito não foi confirmada, uma vez que o suspeito recusa falar.

O ataque causou dois feridos e obrigou à evacuação de 40 pessoas da unidade industrial visada pelos terroristas. Uma pessoa foi decapitada, presumivelmente, durante o ataque. A cabeça, com inscrições em árabe, foi encontrada presa ao gradeamento da fábrica.

Um homem vestido de negro, alegando pertencer ao Daesh (acrónimo de Estado Islâmico), entrou nas instalações e accionou várias pequenas bombas, cerca das 9.50 horas locais (8.50 em Portugal continental).