Brexit

Potenciais consequências da saída do Reino Unido da UE

Potenciais consequências da saída do Reino Unido da UE

Especialistas e observadores preveem que uma vitória dos partidários da saída do Reino Unido da União Europeia no referendo de quinta-feira tenha várias consequências políticas e económicas.

Seguem-se algumas das previsíveis consequências:

- Responsável pela convocação do referendo e líder da campanha pela permanência na UE ("Remain"), o primeiro-ministro britânico, David Cameron, deverá assumir a derrota e demitir-se da chefia do governo e da liderança do Partido Conservador. Para lhe suceder, o favorito parece ser nesta altura o ex-presidente da câmara de Londres e figura de proa da campanha "Sair" ("Leave"), Boris Johnson.

- A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, apoiada por uma maioria dos escoceses favorável à permanência do Reino Unido na UE, já ameaçou voltar a convocar um referendo sobre a independência da Escócia se o resto do país votar pela saída.

- A Irlanda do Norte ficaria isolada na ilha que partilha com a República da Irlanda, membro da UE.

- O Reino Unido e a UE iniciariam um longo processo de negociações, de pelo menos dois anos, com o acesso britânico ao mercado único como uma das principais questões.

- A instabilidade económica resultante da '"Brexit" poderia levar, segundo especialistas, a uma desvalorização de entre 15% e 20% da libra esterlina, uma inflação de 5%, um aumento das taxas de juro e do custo da mão-de-obra e uma quebra de entre 1% e 1,5% no crescimento da economia.

- Uma quebra acentuada da imigração de trabalhadores de outros países europeus poderia gerar falta de mão-de-obra na construção e nos serviços.

Imobusiness