Fukushima

Prémio Príncipe das Astúrias distingue "Heróis de Fukushima"

Prémio Príncipe das Astúrias distingue "Heróis de Fukushima"

O Prémio Príncipe Astúrias da Concórdia 2011 foi atribuído, esta quarta-feira, aos "heróis de Fukushima", o grupo de homens e mulheres envolvidos na emergência nuclear provocada pelo tsunami no norte do Japão, de 11 de Março.

O júri da Fundação Príncipe das Astúrias, da cidade espanhola de Oviedo (Astúrias), realçou o "valoroso e exemplar comportamento" das equipas que evitaram, com sacrifício próprio, a multiplicação dos efeitos do desastre nuclear provocado pelo tsunami.

Segundo a acta do júri, foi valorizada "a resposta serena e altruísta do conjunto da sociedade japonesa ao sucedido em Março de 2011 e que teve a sua mais alta expressão nos grupos de pessoas que puseram a sua própria vida em risco".

A acta acrescenta, ainda, que "ao enfrentarem a central nuclear acidentada, evitaram uma tragédia humana e ambiental de maiores dimensões, dando ao mundo um exemplo de coragem perante a adversidade".

O sismo e o posterior tsunami provocaram 28 mil mortos e 350 mil deslocados, além de danos na central nuclear de Fukushima, que originaram explosões de hidrogénio e a fusão do combustível nuclear. Vários operários da central morreram e muitos outros ficaram feridos devido à radiação.

A candidatura ao prémio foi proposta por Josep Piqué, presidente da Fundação Conselho Espanha-Japão, e contou com o apoio do alcaide de Madrid, Alberto Ruiz-Gallardón, entre outros.

Mais de 40 candidaturas de 20 nacionalidades escolheram o Prémio Príncipe da Astúrias, último dos oito galardões internacionais que a Fundação atribui, e que já vai na 31ª edição.

Imobusiness