Venezuela

Presidente da Argentina apelida Maduro de ditador após reunião com Bolsonaro

Presidente da Argentina apelida Maduro de ditador após reunião com Bolsonaro

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, classificou esta quarta-feira o Governo venezuelano liderado por Nicolás Maduro de ditadura, em declarações à imprensa após uma reunião bilateral, em Brasília, com o chefe de Estado brasileiro Jair Bolsonaro.

"Compartilhamos a preocupação pelos venezuelanos. Reafirmamos nossa condenação à ditadura de Nicolás Maduro. Não aceitamos esse escárnio com a democracia", disse Macri.

"A comunidade internacional já percebeu que Maduro é um ditador, que procura perpetuar-se com eleições fictícias, prendendo opositores e levando os venezuelanos a uma situação desesperadora e angustiante", acrescentou.

Macri também reiterou a posição adotada pelo seu país no Grupo de Lima, de não reconhecer o Governo de Maduro.

"Reconhecemos a Assembleia Nacional como a única instituição legítima da Venezuela, eleita democraticamente pelo povo venezuelano", frisou.

O Presidente brasileiro também se referiu, em conferência de imprensa no final do encontro, à situação na Venezuela, destacando o compromisso da Argentina e do Brasil com a "defesa da liberdade e da democracia na região".

Jair Bolsonaro afirmou que "a cooperação na questão venezuelana é um claro exemplo" desse entendimento.

Essa cooperação ocorreu principalmente no âmbito do Grupo Lima, que, esta semana, com a única recusa do México, concordou em não reconhecer o novo Governo de Maduro, instado, sem sucesso, a transferir o poder para a Assembleia Nacional antes da sua posse, que aconteceu em 10 de janeiro.

ver mais vídeos