Filipinas

Presidente filipino ordena detenção de um dos principais opositores

Presidente filipino ordena detenção de um dos principais opositores

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ordenou a detenção do parlamentar Antonio Trillanes, um dos seus opositores e o segundo senador a arriscar a prisão.

Atualmente refugiado no Senado para evitar ser detido, Trillanes é uma das personalidades mais críticas da "guerra contra a droga" desencadeada pelo presidente Duterte, que o senador também acusa de corrupção.

Trillanes acusou ainda o filho de Duterte, Paolo, de pertencer a uma tríade chinesa que terá importado para o arquipélago uma grande quantidade de metanfetaminas.

A oposição já considerou que a ordem de detenção de Trillanes é uma decisão política, fazendo um paralelismo com a detenção, em fevereiro de 2017, da senadora Leila de Lima, outra adversária do presidente.

A ordem de detenção de Trillanes está ligada com a anulação de uma amnistia que lhe tinha sido concedida em 2010 pelo seu papel numa tentativa de golpe de Estado contra a antiga presidente Gloria Arroyo.

O Governo diz que Duterte anulou a amnistia porque o senador, antigo oficial da marinha, não teria cumprido as suas obrigações, nomeadamente aquela que exigia que fizesse um pedido oficial de amnistia reconhecendo a sua culpa.

Rodrigo Duterte está até quarta-feira em visita oficial a Israel.