ONU

Primeiro diálogo internacional sobre migração será focado nos jovens

Primeiro diálogo internacional sobre migração será focado nos jovens

A Organização Internacional para as Migrações promove na quinta-feira na sede da ONU, em Nova Iorque, o primeiro diálogo internacional sobre migração de 2019, iniciativa que discutirá como os jovens podem ser elementos-chave nas futuras estratégias migratórias globais.

A organização liderada desde outubro passado pelo ex-ministro português António Vitorino destacou hoje que atualmente existem 1,8 mil milhões de jovens no mundo, "a maior geração da história", e que entre os 258 milhões de migrantes internacionais estimados a nível mundial, cerca de 11% tinham entre 15 e 24 anos em 2017.

"É vital e no melhor interesse dos governos incluirmos as suas vozes na formulação de políticas e dar-lhes uma verdadeira participação na orientação dos seus futuros. Juntos, vamos apoiar os esforços da Estratégia da Juventude da ONU [designada Youth 2030 e lançada em setembro de 2018] para amplificar as vozes dos jovens e promover o seu envolvimento nos processos relacionados com a migração global", afirmou o diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM), António Vitorino, num comunicado divulgado pela organização.

Depois de Nova Iorque, outro diálogo internacional sobre migração (IDM, na sigla em inglês), também dedicado ao papel dos jovens, irá decorrer ainda este ano em Genebra, cidade que acolhe a sede da OIM.

"A primeira das duas sessões de IDM planeadas para 2019 irá discutir estratégias globais e parcerias na área da mobilidade de jovens, bem como as melhores práticas para o envolvimento dos jovens em políticas e nos processos de tomada de decisão", referiu a OIM.

"A adaptação, a integração e a capacitação dos jovens migrantes serão abordados através de um intercâmbio de boas práticas, de lições aprendidas e de recomendações com representantes de todos os setores relevantes, incluindo dos próprios jovens migrantes", concluiu a organização.

A par da participação de António Vitorino, a iniciativa vai contar com a presença, entre outros representantes, da atual presidente da Assembleia-geral da ONU, Maria Fernanda Espinosa Garcés, e da enviada do secretário-geral da ONU para a área da Juventude, Jayathma Wickramanayake.

O diálogo vai incluir igualmente representantes governamentais, por exemplo da Serra Leoa e do Equador, mas também elementos da sociedade civil, académicos e autoridades locais.