Mundo

Prostitutas de Zurique aderem a "garagens de sexo"

Prostitutas de Zurique aderem a "garagens de sexo"

As prostitutas de Zurique, Suíça, vão começar a trabalhar, a partir da próxima segunda-feira, em "garagens do sexo". Situadas nos subúrbios, as "boxes" procuram afastar a prostituição do centro da cidade e melhorar as condições de trabalho das profissionais do sexo.

As "garagens do sexo", conhecidas pelos residentes da área como "caixas do sexo", fazem parte da revisão da lei da prostituição aprovada no referendo de março de 2012, em Zurique. Uma vez que a prostituição é legal na Suíça, a nova lei procura regular o funcionamento da atividade.

Os novos locais reservados para a prestação de serviços sexuais foram instalados numa zona industrial, devidamente sinalizada com o símbolo de um guarda-chuva vermelho, um ícone conhecido na Europa de Leste para sinalizar zonas de prostituição.

Para aceder ao local, os clientes têm de se deslocar de carro para que possam estacionar o veículo numa das nove garagens do espaço onde, então, poderão contratar os serviços de uma prostituta.

O espaço, instalado numa avenida rodeada por vegetação, estará aberto aos clientes entre as 19 e as 5 horas. O complexo é constituído por nove garagens e por dois compartimentos menores, para os clientes que optarem deixar o carro.

Cada uma das "garagens do sexo" estará equipada com chuveiros e casas de banho, assim como um botão que as prostitutas podem premir caso se sintam ameaçadas.

Um dos objetivos principais desta medida é a diminuição da atividade sexual na avenida Sihquai, uma das mais importantes áreas residenciais e de negócios de Zurique que, durante a noite, se assemelhava a um "bairro vermelho". As condições de trabalho das prostitutas também foram consideradas.

"Nós tivemos um problema aqui, que tem piorado nos últimos anos, especialmente no que diz respeito a mulheres ciganas, que eram forçadas a entrar na prostituição. Esta era uma situação degradante que tínhamos de parar" afirmou Michael Herzig, o diretor do projeto.

Na construção do complexo, foram gastos aproximadamente 1,7 milhões de euros. As autoridades estimam ainda que a manutenção e funcionamento das "garagens do sexo" custe aproximadamente 500 mil euros por ano.

A par da abertura das "garagens do sexo", na próxima segunda-feira, a lei só permite que duas outras áreas de Zurique continuem a oferecer serviços sexuais nas ruas: uma no sudeste da cidade, perto de uma rua principal, e no bairro Niederdorf, no centro antigo.

A lei estipula ainda que as prostitutas, para exercer a atividade, devem solicitar uma autorização especial às autoridades. É exigido também que tenham pelo menos 18 anos.