Egipto

Protestos no Egipto já causaram mais de 100 mortos

Protestos no Egipto já causaram mais de 100 mortos

Pelo menos 102 pessoas morreram desde o início da onda de contestação contra o regime do Presidente egípcio, Hosni Mubarak, que abala o Egipto desde terça-feira, indicaram hoje, sábado, fontes da segurança e médicas.

As mesmas fontes referiram que hoje morreram 33 pessoas.

Nos últimos cinco dias, o Cairo e outras cidades egípcias têm sido palco de várias manifestações anti-governamentais, que exigem a saída do Presidente Hosni Mubarak, no poder há 30 anos.

Mubarak nomeou hoje um vice-presidente pela primeira vez desde que chegou ao poder. A escolha recaiu no poderoso chefe dos serviços secretos egípcios, Omar Suleiman, que tomou hoje posse, numa cerimónia exibida pelas televisões locais.

Horas depois, foi anunciado um novo primeiro-ministro: Ahmed Shafiq, um antigo comandante da força aérea que assumia, desde 2002, o Ministério da Aviação Civil.

Mas as duas nomeações não acalmaram os ânimos dos manifestantes que permanecem nas ruas, desafiando o recolher obrigatório.