O Jogo ao Vivo

Resgate

Quem são os 12 jovens que ficaram presos na caverna da Tailândia

Quem são os 12 jovens que ficaram presos na caverna da Tailândia

Uma equipa de futebol, constituída por 12 rapazes, entre os 11 e os 16 anos, e o treinador, de 25 anos, ficaram presos numa caverna na Tailândia a 23 de junho. Um fez anos nesse dia. E só um fala inglês.

O grupo ficou encurralado quando as chuvas fortes inundaram a caverna de Tham Luang e cortaram o caminho para a saída. Oito jovens já foram resgatados - quatro no domingo e outros quatro esta segunda-feira - estando ainda quatro crianças e o treinador à espera dos mergulhadores para conseguirem sair. As autoridades não divulgaram ainda as identidades daqueles que já estão a salvo.

Eis o que se sabe sobre os rapazes e o seu treinador:

Chanin Viboonrungruang (alcunha: Titan), 11 anos

Titan é o mais novo da equipa. Começou a jogar futebol aos sete anos, antes de se juntar ao clube de desporto da escola. Mais tarde, foi convidado a juntar-se à equipa dos Javalis Selvagens.

Mongkol Boonpiam (alcunha: Mark), 12 ou 13 anos

Mark foi descrito pelo professor como sendo "muito respeitador e uma boa criança". O pai, Thinnakorn Boonpiem, disse que o filho é "bom rapaz" que adora estudar, "quase tanto como de futebol".

Panumas Saeng-Dee (alcunha: Mig), 13 anos

De acordo com Nopparat Kantawong, treinador principal da equipa de futebol, Mig é mais alto do que as outras crianças da sua idade, mas é ágil.

Duangphet Promthep (alcunha: Dom), 13 anos

Dom é o capitão de equipa e já foi observado por diversos clubes profissionais na Tailândia. É um rapaz motivador e respeitado pela equipa devido às suas habilidades no futebol. "Jogadores em campo precisam de um capitão como Dom, porque, às vezes, o técnico não consegue resolver os problemas", disse o treinador principal à BBC.

Somjai Jaiwong (alcunha: Pong), 13 anos

"Pong é um rapaz alegre, gosta de futebol e de todo o tipo de desporto. Sonha em tornar-se um jogador de futebol pela seleção tailandesa", disse o professor Manutsanun Kuntun.

Adul Sam-on, 14 anos

Adul nasceu em Wa State, estado autónomo de Myanmar (Birmânia), e vive longe da família para ter uma educação melhor na Tailândia. Fala tailandês, birmanês, chinês e inglês e foi o único capaz de comunicar com os mergulhadores britânicos quando o grupo foi descoberto.

Natthawut Thakhamsai (alcunha: Tern), 14 anos

Numa carta dirigida aos pais, Tern pediu que não se preocupassem com ele. "O pai e a mãe não estão zangados contigo e não te culpam", escreveram os pais em resposta, acrescentando que estavam à espera dele "à frente da gruta".

Akarat Wongsukchan (alcunha: Bew), 14 anos

Numa carta dirigida à mãe, Bew prometeu ajudá-la na loja da família quando fosse resgatado da gruta.

Prajak Sutham (alcunha: Note), 15 anos

Note foi descrito pelos amigos de família como um "rapaz esperto e reservado".

Pipat Phothi (alcunha: Nick), 15 anos

Na carta dirigida aos pais, Nick escreveu que queria comer Mookatha, churrasco tailandês, quando saísse da caverna.

Ponchai Khamluang (alcunha: Tee), 16 anos

"Não se preocupem, estou muito feliz", escreveu Tee na carta dirigida aos pais.

Peerapat Somphiangjai (alcunha: Night), 17 anos

Night desapareceu no dia em que fazia anos e os pais dizem que ainda estão à espera que ele seja resgatado para realizar a sua festa de aniversário. Os rapazes levaram guloseimas e lanche para a caverna no dia 23 de junho para celebrar o 17º aniversário de Night. Essa comida terá ajudado a sustentar o grupo nos nove dias que ficaram presos dentro da caverna até serem localizados.

Akkapol Chanthawong (alcunha: Ake), 25 anos, treinador-adjunto

"É muito boa pessoa, adora os miúdos, toma conta deles, é muito diligente, sempre pronto a ajudar o próximo", descreveu uma tia, Thamma Kantawong, à CNN.

Na carta de Ake tornada pública, o treinador pediu desculpa aos pais dos rapazes por os ter levado à caverna. "Prometo que vou cuidar deles da melhor forma que conseguir", escreveu. Várias famílias disseram, depois, que não o culpavam.

Alguns meios de comunicação sugeriram que, quando o grupo foi descoberto, Ake era a pessoa que estava mais fraca, uma vez que terá recusado comer para sobrar mais para os rapazes.

ver mais vídeos