Ciência

Relógio do Apocalipse foi acertado: dois minutos para o fim do mundo

Relógio do Apocalipse foi acertado: dois minutos para o fim do mundo

O Relógio do Apocalipse é, mais do que um relógio, uma metáfora que aproxima, simbolicamente, a humanidade do fim do mundo. Acaba de ser adiantado meio minuto, estando agora a dois minutos da última badalada.

O relógio foi acertado, esta quinta-feira, para as 23.58 horas, por especialistas da revista científica "Bulletin of the Atomic Scientists", adiantando a hora, em 30 segundos, face a 2017, quando faltavam dois minutos e meio para a meia-noite. Os ponteiros não estavam tão próximos do fim do mundo desde 1953, vivia o mundo o auge da Guerra Fria.

Os principais motivos apontados para este acerto - emitido em direto a partir de Washington (às 15 horas de Portugal continental) - foram os riscos nucleares crescentes, com os EUA, a Rússia e a Coreia do Norte no centro da questão, e as alterações climáticas, manifestadas em ondas de calor, furacões, incêndios florestais e outros fenómenos naturais. Os possíveis usos indevidos das biotecnologias e da inteligência artificial também contribuíram para a atualização.

"Em 2017, os líderes mundiais falharam em responder efetivamente às ameaças iminentes de guerra nuclear e alterações climáticas, fazendo com que a situação de segurança mundial se torne mais perigosa do que há um ano", pode ler-se em comunicado publicado no site da revista científica.

O Relógio do Apocalipse, explicam os cientistas, é uma metáfora para alertar a humanidade se está mais perto ou mais longe de se autodestruir, onde a meia-noite é o fim do mundo. Os ponteiros deste relógio são movimentados por dois comités, em que se incluem 15 cientistas especialistas em desarmamento, energia nuclear ou alterações climáticas.

ver mais vídeos