Arte

Retrato de Mao Tse-Tung por Andy Warhol vendido por 12 milhões

Retrato de Mao Tse-Tung por Andy Warhol vendido por 12 milhões

Um retrato clássico do líder chinês Mao Tse-Tung da autoria do artista norte-americano Andy Warhol foi vendido em Hong Kong por cerca de 12 milhões de euros, abaixo de estimativas que apontavam para mais de 14 milhões.

O leilão atraiu muita atenção e o preço estimado foi o mais alto que a leiloeira Sotheby's já avançou num leilão de pintura na Ásia.

A obra de 1973 teve que ser leiloada na Região Administrativa Especial de Hong Kong devido à sensibilidade com qualquer uso da imagem de Mao no continente chinês e a identidade do comprador não foi revelada.

A Sotheby's indicou que se tratou da primeira venda relevante de arte contemporânea ocidental em Hong Kong, que faz parte da República Popular da China desde 1997 e tem um estatuto de semi-autonomia em relação a Pequim.

Quando uma exposição de Andy Warhol passou em 2013 por cidades chinesas, as imagens do fundador da China moderna ficaram armazenadas e não foram expostas.

O legado de Mao e da China comunista que liderou são usadas pelo partido para se legitimar no poder e a sua imagem domina num retrato gigante a praça Tiananmen, além de figurar nas notas.

Mas do seu legado também fazem parte campanhas de assassinatos políticos e medidas económicas que provocaram fome em massa, pelo que a sua imagem é gerida de forma controlada pelo partido.