Alemanha

Seis mil neonazis "ocupam" localidade para ouvir música contra estrangeiros

Seis mil neonazis "ocupam" localidade para ouvir música contra estrangeiros

"Rock contra estrangeiros", é este o lema do festival que, no passado fim de semana, juntou mais de seis mil neonazis na pequena localidade alemã de Themar, na região de Turíngia. Mil policias estiveram presentes no evento, que decorreu sem problemas graves.

Themar tem apenas três mil habitantes que, de um dia para o outro, viram a localidade ser invadida por neonazis que se juntaram para um festival de música. "Tomar Themar", "Pássaros livres", e a "Terceira via" são apenas algumas das inscrição que se podiam ler nas camisolas dos festivaleiros, adianta o diário espanhol "El País".

O grupo começou a chegar no sábado de manhã, sempre acompanhado por um forte contingente policial, apesar de todos os protestos organizados pelos habitantes. Depois de verem as várias tentativas judiciais goradas, organizaram marchas pacíficas e pequenas festas populares. Uma missa ecuménica também foi realizada e os proprietários de pensões não abriram portas durante o fim de semana para evitar albergar estes festivaleiros.

O estigma do racismo presente na região

A realização do concerto nesta região é mais uma marca numa ferida que teima em não curar. É que os neonazis têm um forte apoio naquela região da Alemanha. O terreno onde decorreu o festival foi cedido por Bodo Dressel, um ex-militante do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha, a Tommy Frenck, um cozinheiro de 30 anos, apoiante na causa neonazi, que anunciou um evento semelhante para o dia 29 de julho.

Esta zona, que esteve integrada na antiga República Democrática Alemã, tem recibo cada vez mais festivais deste género nos últimos anos. De acordo com dados do Ministério do Interior da Turingia, a que o "El País" teve acesso, a região é responsável por uma quinto dos 68 concertos de rock da extrema-direita que se celebraram em 2016.