Brexit

"Sejamos pacientes" com o Reino Unido, pede Donald Tusk

"Sejamos pacientes" com o Reino Unido, pede Donald Tusk

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, pediu paciência para com o Reino Unido, após a primeira-ministra britânica, Theresa May, ter anunciado que vai pedir outro adiamento curto do Brexit para depois de 12 de abril.

"Mesmo que, depois de hoje, não saibamos qual será o resultado final, sejamos pacientes", escreveu o político polaco na sua conta na rede social Twitter.

Na curta publicação, Donald Tusk, um dos grandes defensores de uma extensão longa do Artigo 50.º do Tratado de Lisboa, aquele que estabelece um período de dois anos para as negociações da saída de um Estado-membro da União Europeia (UE), volta a dar mostras de compreensão para com a primeira-ministra britânica, Theresa May.

Mais paciente do que o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que já confessou sofrer de "fadiga de Brexit", o presidente do Conselho Europeu realizou um périplo por várias capitais antes da última cimeira europeia, sensibilizando os líderes europeus para a necessidade de conceder ao Reino Unido um adiamento da data de saída do bloco comunitário, fixada para 29 de março.

O Conselho Europeu concordou em 21 de março com uma extensão do Artigo 50.º até 22 de maio, desde que o Acordo de Saída fosse aprovado pela Câmara dos Comuns até sexta-feira passada, estipulando uma prorrogação apenas até 12 de abril caso o texto fosse novamente chumbado, o que acabou por acontecer.

"Na prática, isto significa que até essa data [12 de abril] todas as opções estão em aberto e as datas do salto para o abismo serão adiadas. O Governo britânico terá a opção de um não acordo, uma extensão longa ou a revogação do Artigo 50.º. Doze de abril é a data chave para que o Reino Unido decida realizar eleições europeias. Se decidir no sentido contrário, a opção de uma extensão mais longa tornar-se-á automaticamente impossível", avisou então o presidente do Conselho Europeu.

Após o parlamento britânico ter rejeitado pela terceira vez o Acordo de Saída, Tusk convocou um Conselho Europeu extraordinário para 10 de abril, dois dias antes daquela que é a nova data para a saída do Reino Unido da UE.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou esta terça-feira que o Reino Unido vai pedir outro adiamento curto para a data de saída do Reino Unido do bloco comunitário para depois de 12 de abril.

Theresa May disse que a decisão foi tomada após um conselho de ministros que durou sete horas para discutir o atual impasse no parlamento relativo ao 'Brexit'.

"Sei que há muitas pessoas que estão cansadas com os atrasos e constantes discussões que prefeririam sair sem acordo na próxima semana", admitiu, afirmando, porém, que "sair com um acordo é a melhor solução".