Mundo

Senador americano terminou uma intervenção de mais de 21 horas

Senador americano terminou uma intervenção de mais de 21 horas

O senador republicano Ted Cruz terminou, às 16 horas de Portugal continental, uma intervenção no Senado norte-americano que se prolongou por 21 horas e 19 minutos. O seu objetivo foi protestar contra a reforma do sistema de saúde de Barack Obama.

"Sinto-me em plena forma. É estimulante ver que os americanos têm a oportunidade de se empenharem no debate e espero que os meus colegas façam a escolha certa e escutem os americanos", afirmou aos jornalistas.

O texano, filiado no Tea Party, não bateu o recorde de duração de uma intervenção na história do Senado - mais de 24 horas - registado em 1957 por um eleito do Sul que pretendia bloquear a lei sobre os direitos cívicos.

O objetivo do senador hispânico, próximo do movimento conservador 'Tea Party', era atrasar o mais possível a votação no Senado de uma lei orçamental que permitirá ao Governo federal continuar a funcionar a partir de 01 de outubro.

Cruz queria evitar que o Senado, de maioria democrata, tivesse tempo para alterar a proposta recebida da Câmara dos Representantes, na qual estão previstos os fundos necessários para a lei da Saúde que os republicanos tinham suprimido na câmara baixa do Congresso.

O senador advertiu que levaria a cabo esta manobra, conhecida nos Estados Unidos como 'filibustering', até o seu corpo aguentar, com o propósito de esgotar todas as opções para afundar a reforma da Saúde, que deve acabar de ser implantada em 2014.

O ano fiscal dos Estados Unidos conclui-se a 30 de setembro e se o Congresso, que não adotou um orçamento em três anos, não aprovar uma lei que continue as atuais atribuições de verbas, o Governo federal poderá suspender parcialmente as atividades a partir de 1 de outubro.

"É uma vergonha que estejamos aqui depois de termos desperdiçado dois dias" para evitar o encerramento parcial das agências da administração, disse o líder da maioria democrata do Senado, Harry Reid, no final do discurso maratonista de Cruz.

A 1 de outubro, entram em funcionamento os mecanismos da Lei de Cuidados de Saúde a Baixo Preço que Obama promulgou em 2010 e que os setores mais conservadores do Partido Republicano continuam a combater.

Ted Cruz começou a discursar na terça-feira às 18:21 TMG (19,21 horas em Portugal continental) e terminou hoje às 16 horas (17 horas em Portugal continental), mais de 21 horas em que não só falou contra a lei da Saúde, como leu um conto às suas filhas antes de irem dormir, leu 'tweets' dos cidadãos norte-americanos sobre o seu discurso e usou todo o tipo de recursos para prolongar o uso da palavra.

O líder da maioria democrata submeterá, esta quarta-feira, a voto uma proposta para finalizar o debate sobre o texto e depois o Senado votará para aprovar ou não a lei provisional de gastos já aprovada pela Câmara de Representantes - onde os republicanos têm maioria -, mas eliminando a parte que suprime os gastos para a reforma sanitária.