EUA

Senadora leva filha de dez dias para votação após alteração das regras

Senadora leva filha de dez dias para votação após alteração das regras

Tammy Duckworth fez história ao tornar-se a primeira senadora dos Estados Unidos a ser mãe. E voltou a ser notícia ao levar a filha de dez dias para o Senado para poder participar numa votação, um dia depois de o Senado alterar as regras e permitir a presença de crianças com menos de um ano.

Tammy Duckworth, 50 anos, representante democrata do Estado do Illinois, chegou ao Senado, na quinta-feira, com a filha Maile nos braços e participou na votação sobre a nomeação do novo administrador da NASA (Jim Bridenstine, com 50 votos favoráveis contra 49).

Maile Pearl Bowlsbey só tem dez dias de vida mas já entrou na história do Senado norte-americano por ter sido o primeiro bebé a estar presente numa sessão de trabalhos.

Tal só foi possível devido a uma alteração das regras, aprovada por unanimidade na noite de quarta-feira, que só autorizavam a presença de senadores e funcionários na sala durante as votações. Passa agora a ser possível aos senadores levarem crianças com menos de um ano de idade.

Em resposta, Tammy Duckworth agradeceu aos colegas "por ajudarem a trazer o Senado para o século XXI reconhecendo que às vezes os novos pais também têm responsabilidades no trabalho". E acrescentou: "estas políticas não são só uma questão das mulheres mas de senso comum".

Na rede social Twitter, a senadora divulgou uma imagem da roupa que a filha iria vestir na ocasião inédita. "A roupa da Maile está pronta. Garanti que ela leva casaco para não violar as regras de vestuário do Senado (que exige blazer). Não tenho a certeza qual será a política para babygrows com patinhos, mas acho que estamos prontas".

Já nesta quinta-feira, após participar na votação, Tammy Duckworth confessou estar "feliz e honrada" por cumprir as suas funções e servir as pessoas do Illinois.

"Todos os dias mães e pais tentam conciliar serem bons pais e profissionais de sucesso e os locais de trabalho têm de reconhecer essa realidade", defendeu Amy Klobouchar, senadora do Minnesota.

A senadora Susan Collins, do Maine, acrescentou que a alteração das regras sobre a presença de bebés nas sessões possibilita aos pais com filhos com menos de um ano de idade cumprirem os seus deveres profissionais sem terem de se separar dos seus filhos, permitindo ainda ao Senado não sofrer interrupções das suas atividades.

O caso de Tammy e Maile relançou o debate sobre as políticas de maternidade nos Estados Unidos, único país desenvolvido que não dá um período de licença com vencimento aos novos progenitores.