EUA

Sobe para oito o número de mortos do incêndio "Carr" na Califórnia

Sobe para oito o número de mortos do incêndio "Carr" na Califórnia

Um mecânico que trabalhava na extinção do incêndio apelidado de "Carr", na Califórnia, morreu esta quinta-feira num acidente, aumentando o número de vítimas mortais para oito, informaram as autoridades.

O Departamento Florestal e de Proteção Contra Incêndios na Califórnia (Cal Fire) explicou que um dos seus mecânicos morreu quando o veículo saiu da estrada, no condado de Tehama, e foi contra uma árvore.

O incêndio "Carr", que foi declarado na cidade de Redding no passado dia 23 de julho, já tinha provocado até hoje a morte de sete pessoas, entre civis e operacionais dos serviços de emergência.

Segundo os últimos dados das autoridades, o fogo "Carr" já queimou mais de 71.800 hectares e perto de 1.600 edifícios, o que qualifica este fogo como um dos incêndios mais destrutivos este Verão na Califórnia.

Os bombeiros conseguiram controlar as chamas em 48%.

Por outro lado, o Cal Fire assinalou hoje que o incêndio "Mendocino Complex", que na segunda-feira se tornou o maior de todos os registados na história da Califórnia, já devastou mais de 123.100 hectares.

Os bombeiros continuam a lutar contra o fogo, que possui duas frentes - "Ranch" e "River" -, que ardem desde o passado dia 27 julho próximo do lago Clear Lake, situado a cerca de 200 quilómetros a norte de São Francisco.

O incêndio "Mendocino Complex" encontra-se controlado em 51%, tendo apenas ardido mais dois mil hectares nas últimas 24 horas.

Entre os cerca de vinte incêndios que continuam ativos na Califórnia, as autoridades destacam o fogo "Ferguson", que já destruiu mais de 38.400 hectares e que foi controlado em 79%.

Várias zonas do Parque Nacional de Yosemite, uma das reservas naturais mais populares do país, continuam encerradas devido ao incêndio Ferguson.

Os incêndios graves na Califórnia são cada vez mais frequentes e violentos, como demonstram os dados, que, segundo o registo oficial, que remonta a 1932, quatro dos cincos fogos mais destrutivos da história deste Estado norte-americano ocorreram nos últimos seis anos.