Mundo

Sucessão de Strauss-Kahn deve ser resolvida nos próximos dias

Sucessão de Strauss-Kahn deve ser resolvida nos próximos dias

O líder do partido maioritário em França UMP, Jean-François Copé, declarou, quarta-feira, que a sucessão de Dominique Strauss-Kahn na chefia do Fundo Monetário Internacional deve ser "resolvida nos próximos dias".

Questionado pelos jornalistas sobre o futuro de Strauss-Kahn à frente da instituição, Copé afirmou: «Não vejo como possa exercer as funções de director-geral do FMI. Portanto, por definição, esta questão deverá ser resolvida nos próximos dias».

A UMP (União para um Movimento Popular) é o partido do Presidente francês, Nicolas Sarkozy, que pediu na terça-feira "dignidade" na preparação das presidenciais de 2012, mostrando-se satisfeito com a contenção nas reacções ao escândalo que atinge o socialista Strauss-Kahn.

Até ao momento, a sucessão de Strauss-Kahn, detido preventivamente nos Estados Unidos por tentativa de violação, não foi oficialmente aberta.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague, considerou hoje que Strauss-Kahn «deverá tomar uma decisão sobre o futuro», acrescentando que o FMI deve funcionar «eficazmente».

«Penso que Dominique Strauss-Kahn deverá tomar uma decisão sobre o futuro, mas está evidentemente numa posição muito, muito difícil», declarou Hague à rádio irlandesa RTE em Dublin, onde acompanha a rainha Isabel II, que efectua uma visita histórica à Irlanda esta semana.

Sobre a possível demissão do director-geral do FMI, cujo mandato corria até 2012, Hague respondeu que o governo britânico «ainda não tem uma posição» sobre o assunto.

«É muito importante que o FMI, que tem tantos assuntos a tratar neste momento, possa funcionar eficazmente nos próximos dias e semanas», insistiu Hague, referindo-se aos planos de ajuda à Irlanda, Portugal e um eventual reforço financeiro para a Grécia.

«Sei que o pessoal, os restantes dirigentes do FMI estão a trabalhar duramente para que isso aconteça», disse.

Na terça-feira, o secretário do Tesouro norte-americano, Timothy Geithner, considerou que Dominique Strauss-Kahn não tinha «evidentemente condições para dirigir o FMI».

Strauss-Kahn, que era considerado um dos principais candidatos à eleição presidencial em França no próximo ano, foi detido e acusado de tentativa de violação de uma empregada de um hotel de Nova Iorque no sábado, durante uma viagem privada. Actualmente está detido preventivamente nos Estados Unidos.