Mundo

Suíços contra a entrada de mais imigrantes

Suíços contra a entrada de mais imigrantes

Uma maioria de suíços é favorável ao fim da "imigração em massa", questão que será votada a 9 de fevereiro de 2014, de acordo com uma sondagem realizada pelo Instituto Isopublic através da Internet.

Se a votação ocorresse no domingo, a iniciativa popular do partido UDC (direita populista) seria aprovada com 52 %votos, enquanto 40% votariam contra. Segundo o instituto, a margem de erro da sondagem é de 4,2 por cento.

A iniciativa do UDC pede a reintrodução de limites anuais à imigração, assim como a determinação de contingentes para as autorizações de residência para que os suíços tenham prioridade no mercado de trabalho. Os limites anuais foram eliminados em 2007.

No entanto, em abril último, o Governo suíço decidiu manter durante mais um ano as restrições à entrada de imigrantes da Europa central e oriental, tendo alargado esta medida a todos os cidadãos de países da União Europeia em maio.

O Conselho Federal decidiu ativar uma cláusula de salvaguarda prevista no acordo sobre livre circulação de pessoas assinado com a União Europeia (UE) em 2002.

Esta cláusula é uma opção de controlo que permite à Suíça estabilizar de forma unilateral as quotas máximas de títulos de residência, de curta e longa duração.

A iniciativa popular do UDC, que prevê também a aplicação de limites aos requerentes de asilo, é rejeitada pelo Governo e pelo parlamento suíços.

A sondagem revela que os suíços estão descontentes com a política migratória do país.

Dos 1.203 inquiridos nas zonas da Suíça de língua francesa e de língua alemã, entre 3 e 9 de setembro, 55 % considerou que a Suíça tem demasiados imigrantes, enquanto um terço disse que o seu número é o correto.

A Suíça tem atualmente cerca de 1,9 milhões de estrangeiros, que representam 23 por cento dos oito milhões de habitantes.

Entre setembro de 2012 e setembro de 2013, a população estrangeira residindo de modo permanente na Suíça teve um aumento superior a 60.000 pessoas, das quais perto de 54.000 vieram da União Europeia a 27 e da Islândia, Noruega e Liechtenstein.

A maior imigração foi de portugueses (15.874 pessoas), seguidos dos kosovares (12.961), alemães (8.071), italianos (6.962) e franceses (5.804).

A comunidade portuguesa na Suíça está estimada em cerca de 240.000 pessoas.