Paris

O tesouro de Notre-Dame foi salvo

O tesouro de Notre-Dame foi salvo

O ministro francês da Cultura, Frank Riester, garantiu que ficou a salvo o tesouro da Catedral de Notre-Dame, em Paris, que foi atingida por um incêndio de grandes proporções, só extinto após 15 horas.

Numa entrevista à radio France Inter, o responsável indicou que as relíquias do tesouro, nomeadamente a coroa de espinhos que os cristãos acreditam ter sido usada por Jesus Cristo na crucificação, e a túnica de São Luís, foram resgatadas, e "estão seguras na Câmara Municipal" de Paris.

O incêndio na Catedral de Notre-Dame, um dos edifícios icónicos de Paris e da arte gótica, que começou ao fim da tarde de segunda-feira, foi declarado extinto pelas autoridades francesas esta terça-feira, pouco antes das 10 horas (9 horas em Portugal continental).

"Quanto ao órgão,parece ter sido bastante afetado, e os grandes quadros no interior, aparentemente não, mas podem ter sido também danificados pela água. Ainda é cedo para avaliar. Falta entrar lá dentro e retirar as peças que foram atingidas pelo fogo, fazer um diagnóstico para começar a restaurar", disse o ministro da Cultura.

Sobre este diagnóstico, o responsável indicou que deverá ainda levar meses a avaliar toda a extensão do sinistro, que se tornou num "drama" acompanhado em todo o mundo.

Frank Riester disse ainda que "o Estado francês tudo fará para recuperar o património perdido", e que "há pessoas em todo o mundo que já manifestaram disponibilidade para ajudar".

O órgão da catedral de Notre-Dame é um dos mais célebres e antigos do mundo, datando do século XIII.

No entanto, ainda se desconhece a extensão do impacto do sinistro nos bens patrimoniais, não apenas das chamas, mas também do fumo, da água atirada pelos bombeiros e da queda dos materiais pesados.

A catedral possui três grandes janelas circulares com vitrais em forma de pétalas que contam cenas religiosas, incluindo episódios do Novo e Velho Testamento, das vidas dos apóstolos, e da ressurreição de Cristo.

Na sequência de publicações partilhadas milhares de vezes nas redes sociais sobre estragos nas rosáceas, o porta-voz de Notre-Dame, André Finot, desmentiu essas declarações, dizendo: "Daquilo que pude ver, os vitrais não foram tocados, as três belas rosas de Notre-Dame, que datam dos séculos XII e XIII, ainda lá estão, e esta manhã não se mexeram".

André Finot realçou, citado pela agência AFP, que os vitrais do século XIX, "bastante menos importantes", é que podem ter sido atingidos.

O incêndio, que demorou cerca de 15 horas até ser extinto, começou na segunda-feira, cerca das 18:50 locais (17:50 em Portugal).

A Procuradoria de Paris disse que os investigadores estavam a considerar o incêndio como um acidente.

No local, o presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou que o pior tinha sido evitado e prometeu que a catedral do século XII será reconstruída.

A tragédia de Notre-Dame gerou mensagens de pesar e de solidariedade de chefes de Estado e de Governo de vários países, incluindo Portugal, bem como do Vaticano e da ONU.

"Majestoso e sublime edifício", como escreveu em 1831 o escritor francês Victor Hugo no seu romance "Notre-Dame de Paris", a catedral foi construída em 1163 e iniciou a função religiosa em 1182.

Imobusiness