Impasse

Theresa May diz que é preciso voltar a adiar a data do Brexit

Theresa May diz que é preciso voltar a adiar a data do Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou que o Reino Unido vai pedir outro adiamento para a data de saída do Reino Unido da União Europeia, para depois de 12 de abril.

Theresa May disse que a decisão foi tomada após um conselho de ministros que durou sete horas para discutir o atual impasse no parlamento relativo ao Brexit.

"Sei que há muitas pessoas que estão cansadas com os atrasos e constantes discussões que prefeririam sair sem acordo na próxima semana", admitiu, porém, afirmou que "sair com um acordo é a melhor solução".

Numa intervenção a partir da residência oficial, em Downing Street, Theresa May disse que o país vai precisar de "uma extensão adicional do Artigo 50.º - uma que seja o mais curta possível e que termine quando aprovarmos um acordo".

A chefe do governo admitiu que a divergência entre deputados "não pode arrastar-se por muito mais tempo" e que, "apesar dos melhores esforços dos deputados, o processo que a Câmara dos Comuns tentou organizar não chegou a nenhuma resposta".

Para encontrar uma saída, May propôs encontrar-se com o líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, para tentar chegar a um acordo que garanta uma saída ordenada da UE.

"Qualquer plano terá que incluir o atual Acordo de Saída - ele já foi negociado com os 27 outros membros, e a UE tem dito repetidamente que não pode e não será reaberto. Onde precisamos de nos focar é na nossa relação futura com a UE", salientou.

May vai tentar com que as negociações com Corbyn resultem numa abordagem que respeite o resultado do referendo de 2016 que ditou o Brexit e que possa ser aprovada no parlamento, para depois ser considerada pelo Conselho Europeu de 10 abril em Bruxelas.

Se não conseguirem concordar com uma única abordagem unificada, acrescentou, poderão submeter uma série de opções aos deputados para estes decidirem numa série de votações. "O governo está pronto para cumprir a decisão da Câmara [dos Comuns]. Mas para que esse processo funcione, a oposição também precisaria de concordar com isso", enfatizou.

O objetivo do governo é acelerar este processo para que a proposta de lei para a saída da UE seja aprovada antes de 22 de maio, evitando assim que o Reino Unido participe das eleições parlamentares europeias de 23 a 26 maio.

Reconhecendo que "este é um momento difícil para todos", May urgiu todos os partidos a chegar a um compromisso para concretizar o Brexit. "Este é um momento decisivo na história dessas ilhas. E requer unidade nacional para cumprir o interesse nacional", destacou.