Salvamento na Tailândia

Três mergulhadores tinham imunidade diplomática durante resgate

Três mergulhadores tinham imunidade diplomática durante resgate

A Tailândia deu imunidade diplomática a três mergulhadores estrangeiros que fizeram parte das operações de resgate de 12 rapazes e respetivo treinador, para o caso de "algo correr mal".

Dezenas de mergulhadores estrangeiros e equipas de resgate juntaram-se às operações de resgate na Tailândia. Contudo, a imunidade foi concedida apenas ao médico australiano Richard Harris e a dois médicos assistentes, disse Don Pramudwinai, ministro das Relações Externas, à Reuters na segunda-feira.

"Richard Harris deu o máximo na missão médica pela qual foi responsável, mas, se algo corresse mal, precisava de proteção", disse Pramudwinai. O acordo feito entre os governos tailandês e australiano deveu-se ao facto de existirem riscos nesta missão. Desta forma, se a operação corresse mal, os mergulhadores não poderiam ser acusados de qualquer crime.

Richard estava de férias na Tailândia quando a equipa de futebol "Javalis Selvagens" ficou presa na caverna. O australiano voluntariou-se para ajudar e entrou na gruta para analisar a saúde dos jovens, com quem ficou durante três dias.

A operação decorreu com sucesso, tendo todos os jovens sido retirados da gruta em segurança entre 8 e 10 de julho. Os 12 rapazes e o treinador vão receber alta do hospital esta quinta-feira.

ver mais vídeos