EUA

Trump vai publicar lista semanal de crimes cometidos por imigrantes

Trump vai publicar lista semanal de crimes cometidos por imigrantes

A administração norte-americana de Donald Trump vai passar a publicar uma lista semanal de crimes cometidos por imigrantes, de acordo com uma ordem executiva presidencial assinada na quarta-feira.

A ordem presidencial sobre imigração contém um parágrafo que ordena o secretário da Defesa Nacional (Homeland Security) a "tornar pública uma lista exaustiva de ações criminosas cometidas por estrangeiros [pessoa que vive no país, mas que não tem cidadania]".

A lista também vai incluir pormenores sobre as chamadas "cidades santuário", localidades norte-americanas que recusam entregar imigrantes residentes para deportação.

"Para melhor informar o público acerca das ameaças à segurança associadas com as jurisdições santuário, o secretário [da Defesa Nacional] deverá (...), numa base semanal, tornar pública uma lista exaustiva de ações criminosas cometidas por estrangeiros e as jurisdições que ignorem ou que, de qualquer outra forma, se escusem a honrar as detenções desses estrangeiros", indica o texto assinado por Trump.

A ordem não especifica que da lista apenas devam constar os crimes cometidos por imigrantes ilegais, o que levanta a possibilidade de incluir também os delitos ou ofensas à lei cometidas por quaisquer imigrantes, mesmo os que vivem nos Estados Unidos legalmente.

A decisão de publicar uma lista de crimes de imigrantes faz lembrar as listagens do 'Crime Negro [Black Crime]' publicadas pela Breitbart News, a página 'online' de extrema-direita que era dirigida por Steve Bannon, atualmente o estratega principal de Donald Trump.

A ordem executiva de Trump deu um primeiro impulso legal a muitas das promessas feitas durante a campanha, incluindo a construção de um muro ao longo da fronteira EUA-México, a deportação de imigrantes ilegais, a criação de novos centros de detenção para imigrantes e a contratação de mais 5 mil agentes da Patrulha de Fronteira.

O texto indica que se trata de medidas necessárias para "assegurar a segurança e a integridade territorial dos Estados Unidos" e considera que os imigrantes ilegais "representam uma ameaça significativa à segurança nacional e à segurança pública".

Ao assinar a ordem, o Presidente Trump leu nomes de cidadãos norte-americanos que foram assassinados por imigrantes ilegais.

Durante a campanha, Trump prometeu diversas vezes milhões de migrantes sem documentos: "Temos cá alguns 'bad hombres' [tipos maus], e vamos tirá-los de cá".

Sobre os imigrantes mexicanos foi ainda mais longe: "Eles trazem drogas. Eles trazem crime. São violadores e alguns, acredito, são boas pessoas".

O novo Presidente prometeu retirar dos Estados Unidos 11 milhões de migrantes sem documentos nos primeiros dois anos do seu mandato, ainda que mais tarde tenha corrigido esse número para "provavelmente dois milhões, ou três milhões".

As autoridades estimam que nos Estados Unidos existam cerca de 820 mil migrantes sem documentos com cadastro.

Imobusiness