Grécia

Tudo o que necessita de saber sobre as eleições gregas

Tudo o que necessita de saber sobre as eleições gregas

Saiba o essencial sobre as eleições gregas.

O que é o Syriza

O Syriza foi constituído como partido há pouco mais de um ano. Resulta de uma coligação de vários grupos de esquerda (eurocomunistas, ecologistas, trotskistas, sociais-democratas...) Nas eleições de 2009 obteve 4%. Três anos depois roçou o Poder, com 26,8% dos votos.

Como funciona o sistema político grego

As eleições deste domingo ficaram a dever-se a uma peculiaridade do sistema político grego. O presidente da República é eleito pelo Parlamento. A Nova Democracia, apesar do apoio do PASOK (Partido Socialista Pan-Helénico), não conseguiu os votos suficientes. O Parlamento foi dissolvido e o novo passará pela mesma prova. Se não houver fumo branco, ou seja, uma aliança ampla entre partidos para escolher um presidente, os gregos voltarão a eleições.

Os partidos do Poder

Na Grécia, como em Portugal, a governação é conduzida, de forma alternada, pelo centro direita (Nova Democracia) e pelo centro esquerda (PASOK). Ambos foram duramente castigados pelos eleitores, mas os socialistas fragmentaram-se. Eram eles quem estava no Poder quando foi pedido o primeiro resgate à Grécia.

A esquerda

O eleitorado de centro esquerda é agora disputado a quatro: o PASOK original; o Movimento dos Socialistas Democráticos do antigo primeiro-ministro Georges Papandreu; o To Potami (O Rio), que concorreu pela primeira vez nas europeias do ano passado e aparece em terceiro nas sondagens; e o próprio Syriza, que ocupou, pelo menos parcialmente, o espaço da social democracia.

O sistema eleitoral

O sistema eleitoral grego não garante a proporcionalidade. O vencedor tem garantido à cabeça um bónus de 50 deputados (de um total de 300), medida que pretendia facilitar a criação de maiorias. Por outro lado, os partidos têm de ultrapassar a barreira dos 3%, o que pretendia combater a fragmentação política. Como a história e as sondagens mais recentes indicam, nenhuma das pretensões se deverá cumprir. Não só não haverá maioria absoluta, como haverá sete a oito partidos representados no Parlamento.