Crise

França condena violência na Venezuela e pede diálogo

França condena violência na Venezuela e pede diálogo

A França lamentou esta sexta-feira a evolução da situação na Venezuela, destacando o agravamento da violência, e assinalou que o diálogo é "o único caminho possível para o país sair da crise que atravessa".

"A França, em concertação com os seus parceiros europeus e em apoio aos esforços dos países da região, continuará a apoiar qualquer mediação que permita recomeçar um diálogo credível, sincero e sério entre o governo e a oposição", indicou o Eliseu num comunicado.

A presidência francesa destacou que, juntamente com os seus aliados europeus, apela à redução da tensão e ao "respeito dos direitos humanos, do Estado de direito e das liberdades fundamentais".

Paris considera que a detenção na terça-feira dos líderes da oposição Leopoldo López e Antonio Ledezma envia um "sinal muito negativo" e não contribui para "facilitar o restabelecimento da confiança".

Os dois homens foram detidos um dia depois da eleição de uma Assembleia Nacional Constituinte, convocada pelo presidente Nicolas Maduro e boicotada pela oposição, que a considera ilegítima.

A presidência francesa sublinhou que a população venezuelana "é a principal vítima" da situação, adiantando que o seu embaixador no país está em contacto "com todas as partes".

A vaga de contestação contra o governo de Maduro começou em abril passado e desde então mais de 120 pessoas perderam a vida.