Mundo

Vídeo de polícia a matar a tiro um jovem choca Canadá

Vídeo de polícia a matar a tiro um jovem choca Canadá

O vídeo da polícia a abater a tiro um jovem de 18 anos está a revoltar o Canadá. Sammy Yatim foi morto a tiro quando brandia uma faca, sozinho, num elétrico em Toronto. O agente suspeito de disparar nove tiros em 13 segundos está suspenso.

Centenas de pessoas manifestaram-se, esta terça-feira, em Toronto, no Canadá, em homenagem a Sammy Yatim, morto pela polícia no passado sábado à noite. O desfile foi, também, um protesto contra a violência policial, personificada nos nove tiros a sangue frio disparados sobre Yatim, no passado sábado à noite, na baixa de Toronto.

O vídeo do tiroteio, colocado no Youtube, mostra vários polícias junto ao elétrico onde o jovem estava sozinho, alegadamente com uma faca de cerca de 10 centímetros. Ouvem-se os agentes a ordenar a Yatim que pouse a faca e, cinco segundos antes dos disparos, um dos polícias ameaçou o suspeito.

"Se mexes um pé nesta direção... morres", ouve-se numa versão melhorada do audio da cena, publicada no jornal canadiano National Post. Estão vários polícias no local, mas os tiros parecem ter sido todos disparados pelo mesmo agente. O homem, com seis anos de profissão, foi suspenso mas mantém o vencimento.

O tiroteio suscitou indignação contra a ação da polícia de Toronto, com manifestações nas ruas e pedidos de justiça nas redes sociais.

"Como muitos de vós, vi o vídeo e estou ciente da inquietação que este acontecimento causou na população, que tem o direito a estar inquieta", comentou o chefe da Polícia de Toronto, Bill Blair.

"Também procuro respostas ao sucedido", acrescentou Bill Blair, sustentando que a Polícia de Toronto colaborou totalmente no inquérito, conduzido por uma unidade especial.

"Quando é que um adolescente de 50 quilogramas, isolado num elétrico vazio, é uma ameaça para uma dúzia de polícias musculados ao ponto de pensarem que não têm outra solução que recorrer a força letal?" A pergunta, de Mejad Yatim, tio da vítima, tem como resposta outra questão.

"Não seria possível proceder de outra forma para poupar a vida a um jovem", questionou a conselheira municipal Janet Davis, conhecida por militar em defesa das vantagem da formação contínua da polícia de Toronto.