México

Vídeo mostra momento em que político é assassinado quando fazia uma selfie

Vídeo mostra momento em que político é assassinado quando fazia uma selfie

Um candidato mexicano às eleições estaduais foi assassinado a tiro, no sábado, logo após ter saído de um debate eleitoral. Fernando Purón Johnston estava a tirar uma selfie quando foi atingido mortalmente.

Depois de ter abandonado a Universidade Autónoma de Piedras Negras, no estado de Coahuila, um apoiante de Fernando Johnston, candidato a deputado pelo PRI às eleições estaduais, aproximou-se do homem para tirar uma fotografia. Enquanto posava para a fotografia, um homem aproximou-se e disparou um tiro na cabeça do político que teve morte imediata.

Os motivos do crime ainda não foram explicados, mas o jornal "La Vanguardia" adianta que Fernando era "inimigo declarado" dos Zetas, a maior organização criminal daquela cidade mexicana. Durante os discursos proferidos na campanha, o político prometeu combater o crime e perseguir os grupos criminosos, o que lhe valeu inúmeras ameaças de morte.

As autoridades já abriram uma investigação depois de terem recolhido provas no local do crime. "Estamos a trabalhar com as pistas que temos no momento", disse Gerardo Márquez Guevara, procurador de Coahuila, numa conferência de imprensa. "Quero manifestar a minha condenação e repudio pelo atentado que custou a vida ao Fernando", acrescentou Miguel Ángel Riquelme, governador do estado de Coahuila.

As imagens da câmara de vigilância foram divulgadas para tentar encontrar o responsável pelo crime.

Mais de 100 políticos mortos desde 2017

Os assassinatos de políticos estão a preocupar as autoridades mexicanas. Com a morte de Fernando subiu para 104 o número de políticos vítimas de crimes desde setembro de 2017. Vários especialistas acreditam que por trás desta onda de mortes estão as grandes organizações criminosas do país, que pretendem ter um papel mais ativo da vida política do México.

ver mais vídeos