O Jogo ao Vivo

Espanha

Violador em série de Málaga pode pedir liberdade condicional

Violador em série de Málaga pode pedir liberdade condicional

Um homem condenado a 271 anos de prisão por violação pode pedir liberdade condicional assim que entrar num centro de inserção social. A única medida restritiva que terá é a proibição de se aproximar a menos de 2.000 metros das suas 24 vítimas durante 15 anos.

Juan Carlos Gómez Ruiz cometeu 13 assaltos sexuais e outras 11 tentativas entre 1997 e 2002, em Málaga, Espanha. Foi condenado a 271 anos de prisão por um tribunal provincial, embora o cumprimento máximo fosse estabelecido em 20 anos. Detido desde 2002, já tem curmpridos 17 anos de pena, mais dois do que os necessários para pedir liberdade condicional.

O violador em série de Málaga foi abrangido pelo terceiro grau do regime penitenciário que, segundo a reforma penal de 2015, concede a suspensão da pena de prisão a reclusos que tenham cumprido três quartos da sentença imposta e demonstrado boa conduta durante o período de detenção.

Esse grau confere aos detidos, devido às suas circunstâncias pessoais e prisionais, a possibilidade de seguirem para um regime de vida em semi liberdade.

Juan Carlos Gómez Ruiz poderá, assim, solicitar a liberdade condicional dentro de duas semanas, logo que entre no centro de inserção social onde as instituições prisionais decidirem colocá-lo, diz o jornal local "Diário Sur".

Quando lhe for concedida a liberdade condicional, Juan Ruiz vai poder andar na rua como qualquer cidadão com a única condição de não se aproximar a menos de 2.000 metros das suas 24 vítimas durante 15 anos.