brasil

Investigadores do "mensalão" afastados 

Investigadores do "mensalão" afastados 

O responsável pelas investigações do esquema de corrupção relacionado com o "mensalão", no Brasil, foi afastado do caso, na sequência de uma crise política causada pela acção policial.

O delegado Protógenes Queiroz deixou o comando da operação por falta de apoio da direcção da Polícia Federal em levar por diante as investigações que levaram à prisão de empresários e do ex-prefeito de São Paulo.

Em solidariedade com a saída de Protógenes Queiroz, outros dois delegados responsáveis pela operação, Karina Murakami e Carlos Eduardo Magro, pediram também o afastamento das investigações.

Na semana passada, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e os conhecidos empresários Naji Nahas e Daniel Dantas, do grupo Opportunity, foram detidos numa operação policial.

Os detidos são suspeitos de participar numa "organização criminosa", responsável por fraudes no mercado financeiro, por utilizar empresas de "fachada" para desviar recursos públicos e para branquear capitais num paraíso fiscal das Caraíbas.

Os três foram libertados, entretanto, por decisão do Supremo Tribunal Federal, benefício que também foi estendido a outros nove dos 17 detidos na mesma operação.

Outras Notícias