Covid-19

Irão consegue desbloquear 1,4 mil milhões para combater pandemia

Irão consegue desbloquear 1,4 mil milhões para combater pandemia

O Governo iraniano dispõe no imediato de 1,4 mil milhões de euros congelados num banco do Luxemburgo e que conseguiu desbloquear para combater a pandemia de Covid-19.

O porta-voz governamental, Ali Rabiei, indicou que o Executivo fará "todo o possível para transferir esses recursos e convertê-los em medicamentos e bens que a população necessita na atual situação".

O Irão registou nas últimas 24 horas mais 111 mortes relacionadas com o novo coronavírus, aumentando o número oficial para 4585 mortos no país, o mais atingido pela epidemia da Covid-19 no Médio Oriente.

Durante a sua comunicação diária, o porta-voz do Ministério da Saúde iraniano, Kianouche Jahanpour, anunciou 1617 novos casos, elevando o número de contágios confirmados para 73.03, dos quais 45983 pessoas já recuperaram.

Devido à pandemia, o banco central do Irão informou recentemente que estava a tentar recuperar o dinheiro iraniano, bloqueado em bancos estrangeiros devido às pressões dos Estados Unidos, incluindo os 1460 milhões de euros do Luxemburgo.

O porta-voz governamental explicou que os EUA bloquearam esses fundos para compensar as vítimas dos atentados do 11 de setembro de 2001 perpetrados pelo grupo jiadista al-Qaeda, e com base num processo judicial que envolvia o Irão no ataque.

"O facto de quererem confiscar o dinheiro do Irão com esse pretexto demonstra a política e a natureza arrogantes do Governo dos EUA", denunciou Ali Rabiei em conferência de imprensa transmitida pela televisão.

PUB

O porta-voz iraniano também acusou a Casa Branca de pretender impedir que o Fundo Monetário Internacional (FMI) conceda um empréstimo ao Irão de 4,5 mil milhões de euros, que foi solicitado para conter a Covid-19.

"Os Estados Unidos não estão legalmente em posição de impedir o funcionamento das organizações internacionais e devem compreender que essas instituições não são sua propriedade", acrescentou.

Ali Rabiei manifestou a esperança de que o FMI atue "de modo independente".

A economia do Irão foi duramente atingida pelas sanções impostas pelos Estados Unidos em 2018, quando o presidente Donald Trump anunciou a retirada unilateral do país do acordo nuclear.

Devido à escassez de recursos, as autoridades não impuseram um confinamento generalizado e começaram a levantar algumas restrições, com o reinício de atividades económicas de baixo risco em todo o país, à exceção de Teerão.

A partir desta segunda-feira também começaram a ser autorizadas as viagens interurbanas dentro da mesma província, e a partir da próxima segunda-feira serão alargadas às deslocações entre diversas regiões.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já provocou mais de 114 mil mortos e infetou mais de 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, quase 400 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG