Investigação

Irão deu acesso às caixas negras do avião ucraniano que caiu em Teerão

Irão deu acesso às caixas negras do avião ucraniano que caiu em Teerão

Os especialistas ucranianos que estão no Irão para investigar a queda de um avião da Ukranian International Airlines obtiveram acesso às caixas negras por parte das autoridades em Teerão, anunciou esta sexta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia.

"A nossa equipa já teve acesso às caixas negras", disse o ministro Vadym Prystaïko em conferência de imprensa.

"Todas as informações vão agora ser analisadas", referiu o chefe da diplomacia da Ucrânia, país que enviou uma equipa de 45 peritos para o Irão para investigar as causas do despenhamento do Boeing 737, que provocou a morte de todas as 176 pessoas -- passageiros e tripulantes -- a bordo.

Autoridades norte-americanas, incluindo esta sexta-feira secretário de Estado Mike Pompeo, canadianas e britânicas declararam que é "provável" que o Irão tenha abatido acidentalmente o avião civil.

"Acreditamos que é provável que este avião tenha sido abatido por um míssil iraniano", disse o secretário de Estado numa conferência de imprensa da Casa Branca, mas acrescentando que os Estados Unidos vão "deixar a investigação prosseguir antes de tirar qualquer conclusão".

A Autoridade da Aviação Civil do Irão contraria esta versão e disse esta sexta-feira ter a "certeza" que o Boeing "não foi atingido por um míssil".

O aparelho descolou de Teerão, com destino a Kiev, despenhando-se dois minutos após a descolagem.

O Governo da Ucrânia informou que 83 iranianos, 63 canadianos, 10 suecos, quatro afegãos, três alemães e três britânicos morreram quando o avião ucraniano em que seguiam se despenhou nos arredores de Teerão.

O acidente ocorreu horas depois do lançamento de 22 mísseis iranianos contra duas bases da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, em Ain Assad e Erbil, no Iraque, numa operação de vingança pela morte do general iraniano Qassem Soleimani.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG