Irão

Irão permite fiscalização ao enriquecimento de urânio

Irão permite fiscalização ao enriquecimento de urânio

O Irão concordou em permitir que inspectores da Agência Internacional de Energia Atómica, da ONU, tenham maior acesso ao local onde enriquece urânio em um grau mais elevado, informaram fontes diplomáticas, hoje, sexta-feira. A medida ocorre perante a ofensiva diplomática de Teerão para evitar sanções do Conselho de Segurança da ONU.

Em reuniões, este mês, com funcionários da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), o país concordou "em princípio" com o reforço da monitorização e com medidas adicionais para a fiscalização do material físsil, evitando seu desvio para fins militares, segundo diplomatas.

"Agora um acordo foi alcançado para medidas reforçadas de vigilância. Mas temos de ver se e quando elas serão colocadas em vigor", disse um diplomata ocidental.

Segundo as fontes, a medida foi tomada logo que o Irão começou a enriquecer urânio a 20%, em Fevereiro deste ano. O enriquecimento começou antes que a AIEA aumentasse sua vigilância no local.

"Em princípio, concordamos que solicitações legítimas e tecnicamente justificadas da AIEA sejam atendidas", disse o embaixador iraniano à agência Reuters, Ali Asghar Soltanieh.
O Irão passou a enriquecer urânio a 20%, supostamente para alimentar um reactor de pesquisas médicas em Teerão. Para desenvolver armas nucleares, o país teria de purificar o material a mais de 90%. O Irão alega que o seu programa nuclear tem fins pacíficos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG