O Jogo ao Vivo

Defesa

Israel admite enfrentar EUA para evitar que Irão tenha armas nucleares

Israel admite enfrentar EUA para evitar que Irão tenha armas nucleares

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, disse, esta terça-feira, que está preparado para confrontar os "grandes amigos" Estados Unidos, se isso for necessário, para neutralizar as capacidades nucleares do Irão.

O primeiro-ministro disse que a maior ameaça de Israel continua a ser a possibilidade de o Irão aceder a armas nucleares, mostrando-se preparado para evitar esse cenário a todo o custo, mesmo que os Estados Unidos e outros países sejam bem-sucedidos a restabelecer o acordo nuclear com os iranianos.

"Se tivermos que escolher - espero que isso não aconteça - entre um atrito com o nosso grande amigo, os Estados Unidos, e a eliminação da ameaça existencial -- escolheremos a eliminação da ameaça existencial", explicou Netanyahu.

O primeiro-ministro israelita - cujo futuro político está em risco, depois de a oposição ter conseguido uma plataforma de apoio governamental -- falava durante uma cerimónia para David Barnea, o novo chefe da agência de espionagem israelita, Mossad.

O Irão acusou Israel de estar por detrás de uma série de ataques para matar cientistas nucleares iranianos ou para sabotar instalações nucleares iranianas.

Os comentários de Netanyahu ocorrem a meio de negociações em curso em Viena, entre países que procuram atualizar e restabelecer o acordo nuclear com o Irão, de 2015, em linha com a promessa de campanha do Presidente norte-americano, Joe Biden, depois de o antecessor deste, o republicano Donald Trump, ter abandonado o pacto unilateralmente, impondo sanções a Teerão.

Netanyahu tem-se oposto firmemente ao acordo, argumentando que não há salvaguardas suficientes para impedir o Irão de desenvolver armas nucleares.

PUB

Israel também diz que o acordo nuclear deve abordar o apoio do Irão a grupos militantes, as suas ações militares na região e o seu desenvolvimento de mísseis de longo alcance capazes de atingir Israel.

O Irão argumenta que o seu programa nuclear se destina apenas a fins pacíficos e que o acordo nuclear deve ser restabelecido sem quaisquer alterações.

Estes acontecimentos ocorrem no meio de um cessar-fogo entre Israel e o movimento islâmico Hamas, na Faixa de Gaza, após um violento conflito armado, que durou 11 dias e matou mais de 250 pessoas, a maioria palestinianas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG